MB Review: Fragmentos do Horror


Existe uma grande chance de que, mesmo que você não conheça muitos mangás, você provavelmente já ouviu falar em Junji Ito, correto?!

Enfim, “Ma no Kakera” (Fragments of Horror), de autoria de Junji Ito, iniciou sua serialização em 2013 na revista Nemuki+ (Revista japonesa de demografia Shoujo, lembrando que a demografia não define o gênero do mangá, é somente a revista na qual a obra foi publicada).

Em dezembro de 2014, a obra foi licenciada nos EUA pela editora VIZ Media e teve seu lançamento em junho de 2015, sob o título “Fragments of Horror”. Já no Brasil, a obra foi anunciada no ano passado pela editora Darkside Books, sendo esse o segundo título do selo Darkside Graphic Novel (sendo ‘Meu Amigo Dahmer’ o primeiro título lançado desse novo selo da editora). A edição segue na mesma qualidade dada aos livros da editora, numa linda edição em capa dura, papel off-set, verniz na capa e etc. Comentar mais sobre a mesma é chover no molhado, muitos canais no youtube já mostram a edição em detalhes e creio que muitos aqui já sabem como ficou e deve até já estar com a própria edição em mãos, então não vou me prender sobre isso aqui, sem mais delongas vamos a análise dos
contos.

Futon
O conto que abre a edição é o mais curto de todos os outros sete e só dá uma palinha do que nos espera ao decorrer do mangá.
Nesse conto temos Tomio, que por alguma razão não quer sair debaixo do Futon e sua atual companheira que está preocupada tenta tirar ele desse colchão, porém logo ela descobre a razão dele não querer sair de lá… Na minha opinião, é o conto mais fraco desse encadernado, por ser curto demais não dá tempo de nos envolvermos com os personagens. A ideia desse conto é muito boa, porém, é mal executada, creio que se tivesse mais páginas poderia ter sido bem melhor.

Monstro de Madeira
A casa de Megumi e do seu pai é uma herança da família. Inclusive a casa se tornou patrimônio cultural do país devido sua importância histórica (algo bem comum em certas casas antigas japonesas) e como patrimônio, muitas pessoas fazem visitas a casa para conhecerem. Certo dia uma jovem moça vai até essa casa para conhecê-la, mas ela não dá nenhum aviso de que gostaria visitar a casa igual os outros visitantes costumam fazer, e Megumi se sente incomodada com essa mulher. A moça insiste muito para que deixem ela passar algum tempo na casa para fazer suas pesquisas para seu curso de arquitetura, ela promete que ajudará em todos os serviços domésticos e no que mais for necessário. Após muita relutância, seu pedido é atendido pelo chefe da casa. Com o tempo, Megumi descobre que essa jovem tem excitação pela casa, uma espécie de fetiche com a própria casa de madeira e isso vai se tornando cada vez mais estranho ao longo das páginas. Dessa vez temos um conto melhor construído do que o anterior, porém, novamente, é uma ideia muito boa mas mal aproveitada, digo isso pelo final que não é nada surpreendente, ao menos pra mim, mesmo sem antes virar a última página já tinha certeza do que aconteceria e acertei em cheio, um final totalmente previsível e que devia fugir do óbvio e ser mais surpreendente.

Tomio – Gola rulê vermelho

Tomio não pode tirar suas mãos da cabeça, pois senão algo de ruim irá acontecer…
Resumidamente, sua cabeça foi ‘cortada’ por uma taróloga que gosta de colecionar cabeças, se caso Tomio tirar suas

 mãos, a sua cabeça irá cair. Tomio agora desesperado clama por ajuda, antes que não aguente mais segurar sua cabeça e a mesma caia e ele morra.

Com certeza esse é um dos meus contos favoritos de Fragmentos do Horror. Nesse conto Junji Ito consegue nos entregar uma ótima estória, tendo bastante da identidade visual e narrativa de suas obras anteriores, um conto perturbador e que transmite perfeitamente a sensação de angústia do personagem que em todo momento da trama está a segurar sua própria cabeça, chega ser apreensivo certos momentos. Algo que não é um ponto ruim porém vale ressaltar, é que esse conto é tão interessante que ao meu ver merecia mais páginas, pois a estória desse conto é muito boa, difere dos outros dois contos anteriores  que deveria ter tido mais páginas para serem melhores trabalhados (Principalmente Futon), não acharia ruim se ‘Tomio –  Gola rulê vermelho’ tivesse mais páginas, pois é um dos melhores conto desse encadernado, tanto que ilustra a capa da edição, mas tudo que é bom dura pouco e tudo bem.

Suave Adeus

Uma garota chamada Riko sempre tem pesadelos do seu pai morrendo, desde que a mãe dela faleceu. Alguns anos se passa, Riko acaba se casando com Makoto e ela ainda continua sonhando com a morte do seu pai.

Riko vai morar com seu marido, e na sua nova casa percebe que existem “fantasmas” morando lá, porém Makoto explica que são antepassados da família dele, e não são fantasmas e sim, “imagens residuais.”
Esse conto eu diria que é o mais filosófico e tocante entre os outros, aqui o drama ganha muito mais espaço  do que o Horror. Creio que, as pessoas que gostam do tema e são ligadas com o espiritismo, irão se identificar e gostar muito desse conto. Ele possui um plot twist surpreendente nas páginas finais e me agradou bastante, porém não vou entrar em mais detalhes do mesmo para não estragar a experiência para aqueles que ainda não leram.

Dissecação-chan
Em uma universidade de medicina, os alunos estão prontos para dissecar corpos que foram doados para estudos, e em um dos sacos, havia uma moça viva dentro dele, e o desejo dela era ser dissecada. Novamente outro conto muito interessante porém Ito comete o mesmo erro em ‘Monstro de madeira’, a idéia do conto e os personagens são bem construídos e trabalhados mas o final é previsível. Senti outra vez que ao virar a página teria algo do tipo, e infelizmente estava certo, ao menos a página final é bizarra e os traços estão bem detalhados, porém esperava mais.

Pássaro Negro

O sexto conto relata a estória de um rapaz que gosta de escalar montanhas. Certo dia o homem cai da montanha e fica sozinho por longos dias na floresta com as pernas quebradas. Ele clama por socorro e enfrenta a fome, mas de repente ele é abordado por uma mulher misteriosa que é semelhante a um pássaro.  Ela o alimenta com sangue e carne pré-mastigada, como se alimentasse um filhote. Porém,  ela continua alimentando-o, mesmo depois de ter sido resgatado, até que nos momentos finais temos uma nova reviravolta no conto e mais bizarrices acontecem. Outra estória bastante interessante e que me agradou bastante, devido ao grau de simbolismos, como por exemplo, os pássaros negros durante a história do mundo são frequentemente carregados de significado transicional, beirando entre a vida e a morte, algo que é bem explícito nesse conto. Podemos até dizer que a “relação” do rapaz e a ‘mulher pássaro’ é de maneira materna e bastante erótica. Um conto que não deve agradar a todos devido o seu final, mas pra mim foi aceitável e perturbador, que é como deve ser um final de estória vindo do Junji Ito, angustiante e sem final feliz.

Magami Nanakuse

O penúltimo conto da coletânea de Fragmentos do Horror é sem dúvidas uma das estórias mais estranhas e perturbadoras  que já li do Junji Ito. Novamente falarei brevemente minhas impressões sobre esse conto para não estragar a experiência de ninguém.
Em Magami Nanakuse temos uma autora que escreve sobre os tiques das pessoas e uma jovem moça que é a maior fã das histórias da madame Nanakuse, e que sonha em um dia ser uma grande escritora como sua ídolo. Num determinado momento ela é convidada pra visitar a casa da grande autora para o que aparentava ser apenas um bate papo, mas de cara ela percebe que Magami Nanakuse não é o que aparentava ser. Em suma é um conto sobre pessoas loucas, com humor sombrio e um final bizarro e perturbador. Esse conto divide muitas opiniões, vi tanto pessoas que gostaram como outras que não gostaram, e eu estou no time daqueles que gostaram, foi o segundo conto que mais reli.

A Mulher Que Sussurra
Por último temos ‘A mulher que sussura’. Na minha opinião,  é o melhor conto de Fragmentos do Horror e que fecha com chave de ouro.
Em ‘A mulher que sussurra’ é contado a história de uma garotinha, filha de um homem rico e viúvo, a sua filha aparentemente tem uma doença mental rara, ela simplesmente não consegue tomar nenhuma decisão sozinha sem fazer várias perguntas. São  decisões simples do dia-a-dia como abrir os olhos, levantar da cama, escovar os dentes e por aí vai. O pai da menina contrata diversas babás para que a  guie, mas nenhuma delas consegue suportar  as centenas de perguntas que a garota faz por muito tempo. Eis que certo dia, uma jovem moça que aparentar ser muito calma, aparece e se candidata para a vaga de babá e consegue a vaga.  Surpreendentemente ela consegue aguentar as perguntas da menina e dura mais tempo que todas as outras babás no cargo, porém a moça trabalha até tarde e aparenta  cada vez mais estar exausta, tanto que aparece até machucada. Cada dia que passa seu estado de saúde  piora, porém sua dedicação com a menina sempre permanece, e a mesma até diminuiu com as perguntas, conseguindo até fazer coisas que antes não conseguia sozinha. Então, chega o dia que sua babá falece e fica claro para nós que a garotinha fará algo muito ruim a qualquer instante. Sem palavras pra definir esse conto, a cada página que passa a estória vai ficando cada vez mais sinistra,  até que o final é eletrizante e aterrorizante. Junji Ito consegue,  com grande êxito,  executar novamente uma estória que nos prende do início ao fim e como um verdadeiro soco no estômago nos entrega um final assustador, encerrando de forma sublime essa edição, e ele nos mostra que mesmo tendo estado parado por oito anos sem escrever nenhuma obra de terror, não perdeu a mão para esse tipo de estórias. Viva Junji Ito,  e vida longa ao mestre, que não precisa,  há muito tempo,  provar mais nada a ninguém, ele é um verdadeiro mestre do terror japonês  e isso ninguém pode negar!

Considerações finais: Vale ou não a pena? Depende muito do seu gosto. Se você for um fã obcecado por terror e pelo Junji Ito, certamente irá comprar. Se você é do tipo do leitor que até gosta do gênero mas que nunca leu nada ou pouco coisa do Ito, recomendo que procure por mais informações e reviews em blogs e no YouTube para decidir. Considero Fragmentos do Horror uma boa porta de entrada para aqueles que não estão familiarizados com o mundo sombrio e bizarro do Junji Ito. Aqui nessa edição tem de praticamente de tudo que o autor já fez em mais de 20 anos de carreira, desde cenas desconfortáveis e bizarras, até mesmo de humor do mais soturno possível. Creio que aqueles que tiverem o primeiro contato com Junji através desse mangá, certamente irão atrás de mais obras do autor e recomendo fortemente Uzumaki e Tomie, suas duas maiores obras até hoje. Esses mangás em questão irão mexer com seu psicológico, causará a cada página lida um frio na espinha e talvez tenha até pesadelos à noite…

Ficha TécnicaTítulo: Ma no Kakera (Fragmentos do Horror)
Autor: Junji Ito
Volume: Único
Páginas: 250
Demografia: Shoujo
Gêneros: Terror/Horror, Suspense, Mistério, Sobrenatural.
Faixa etária: Não recomendado para menores de 16 anos
Formato: 14 x 21 cm
Papel: Off-set
Preço: R$ 54,90
Editora: Darkside Books

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.