MB Review: Morte (Novel) #1


Morte
 volume 1: A Garota do Funeral Marítimo.
Autor(a): Keika HanadaIlustrações: Yone Kazuki
Sinopse:
Uma doença rara que atinge uma a cada dezena de milhares de pessoas, inevitavelmente levando-as a cometerem suicídio ainda na adolescência, uma armadilha genética chamada “Morte”. Nessa hostória, Sasha é um menino que é enviado ao orfanato Doceo, um lugar cheio de segredos e inquietações. Sasha vivia seus dias em solidão, carregando ódio pelos adultos, até que um dia, à sua frente, surge uma bela jovem chamada Manon. À medida que ele vai se aproximando dela, começa a suspeitar se o conselheiro de Manon, Doudou, um padrinho horripilante, não seria a causa dos ferimentos da garota. E a fim de salvá-la, Sasha toma uma grande decisão. Contudo, uma verdade surpreendente estava escondida por trás de tudo. Nesse cenário do orfanato, onde eles se encontram, a indesejada “Morte”, instigadora do suicídio inevitável, está à espreita. Uma história sobre laços puros em desespero. Existirá algum milagre para este mundo?

Opinião:
Sobre Morte, uma light novel que desconhecia totalmente e que sua sinopse tinha me despertado uma curiosidade. No momento do anúncio pela NewPOP, além de achar curioso, achei muito legal a iniciativa de lançar uma novel tão desconhecida de nosso público, em uma país que esse mercado é nicho do nicho ainda.
A história é centrada em um orfanato chamado Doceo, um local que é usado mais como uma rede de tráfico humano, que vende crianças para pessoas que perdem seus filhos para a Morte. A Morte é uma doença misteriosa, que faz com que seus hospedeiros tirem suas próprias vidas sem ter vontade de fazer tal ato. Além de provocar o suicídio, a Morte deixa os pais das crianças afetadas estéreis.
Nesse primeiro volume temos a figura de Alan, um adolescente vendido pelo próprio pai a Doceo, que ao chegar ao local já sabe todas as verdades de lá, ao contrário de todas as crianças do mesmo. Alan agora deve se chamar Sasha, abdicando seu nome antigo e sendo educado pelo seu padrinho de Doceo, Gianca, que deve ensiná-lo como ser o filho perfeito para as pessoas que o compraram para substituir o filho que morrerá afetado pela Morte. No meio do caminho Alan conhece Manon, uma bela garota de Doceo, que está sendo apadrinhada pelo assustador Doudou, um homem misterioso e de péssima aparência.

Morte não tem uma história geniosa, não é uma nota 10, para mim, mas garanto que é uma leitura muito legal, que no possível primeiro “capítulo”(essa obra não possui uma divisão de capítulos), nos mostra a história na visão Alan(Sasha), com um toque de romance dele com Manon e também um capítulo cheio de medos do misterioso Doudou. Vemos o desespero de Sasha para salvar Manon do “perverso” Doudou e que tem um desfecho que leva a uma tragédia.
Nos capítulos seguintes, temos a história do assustador padrinho da bela Manon, onde somos envoltos em seu passado solitário e as páginas bem escritas vão nos deixando mais familiarizados com Doudou, sua solidão e tragédia de um passado que o assombra. Assim que seguimos lendo, vemos as revelações sobre Doceo, seu surgimento, sobre como Doudou chegou lá, infelizmente. Temos uma virada muito legal de plot, nada incrível, mas considero bem feito e lançado no momento certo, que conseguiu me prender até o final, chocar e também refletir sobre o quão perverso, egoísta e manipulador, o ser humano pode ser. Tudo isso é bem executado, com um final muito bonito, enfim, uma obra que conseguiu me segurar e recomendo até para quem gosta de romances de mistério. Esse primeiro volume tem uma história fechadinha.

Sobre a edição da NewPOP, ela é bem feita, com uma costura firme, um papel muito agradável e que não cansa a visão, o formato é muito pequeno, mas a fonte usada não é ruim de ler. As ilustrações estão bem impressas no papel, minha única crítica são os erros de revisão, que não prejudicam a leitura, mas acho um pouco chato a edição vir com esses erros fáceis de se evitar. Enfim, agradeço quem leu até e aqui e gostaria de saber de quem leu, o que achou desse primeiro volume.

Review feito e cedido ao blog por Everton Barbosa, membro da Mangás Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.