MB Review: Given #1

Given é um mangá criado pela mangaká Natsuki Kizu, publicado na revista Cheri+ (revista voltada para a publicação de mangás Yaoi),da editora Shinshokan desde 2013. O mangá está em andamento no Japão e atualmente conta com 6 volumes encadernados. O volume 1 acaba de sair no Brasil pela Editora NewPOP, e é sobre ele que estarei falando hoje.

Enredo

Assim como aconteceu em Solo Leveling, que foi o primeiro manhwa que li na vida, Given é o primeiro mangá do gênero Boys Love que eu leio. A verdade, é que eu nunca tive interesse em histórias de romance, independentemente do gênero dos personagens nela envolvidos. Porém, me surgiu a oportunidade de resenhar esse título, e resolvi dar uma chance. Mas antes de partirmos pra minha opinião sobre a obra, vamos à sinopse.

Os dias que gostava de tocar guitarra ou jogar basquete pareciam cada vez mais distantes. É quando o jovem Uenoyama se encontra com Mafuyu no colégio, abraçado a uma guitarra com uma das cordas arrebentadas. Então, Uenoyama resolve arrumá-la e, com isso, conquista uma estranha simpatia de Mafuyu, só que ele não esperava ser conquistado também pelo canto do garoto que ouviu por acaso…!

 Após ler o mangá, algo que me chamou atenção positivamente, foi que, pelo menos nesse volume, o mangá opta por desenvolver os personagens e as relações entre eles com calma. A autora não tem pressa em fazer algo acontecer entre os personagens simplesmente por fanservice. A relação entre o protoganista, Uenoyama, e Mafuyu, vai sendo construída no decorrer do volume, por meio da música. Por mais que algumas situações pareçam meio forçadas, no geral, o saldo nesse aspecto é positivo.

Momento em que Uenoyama conserta a guitarra de Mafuyu

O mangá tem seus momentos de engraçadinhos, como por exemplo, a forma com que Uenoyama conhece Mafuyu, é bastante inusitada. Digo “engraçadinhos”, pois não é aquela comédia que te fará rir, nem nada do tipo. Já os momentos mais sérios, funcionam bem melhor dentro da publicação, ao menos no meu ponto de vista. O porquê do Mafuyu andar sempre com uma guitarra, mesmo sem saber tocá-la, o que ocasionou o suicídio do seu ex-namorado…Essas questões são muito mais interessantes de se ver dentro da publicação do que os momentos em que a autora tenta fazer comédia. E por mais que o mangá aborde alguns temais mais densos, no geral, a atmosfera da obra é bastante amigável, não é aquela coisa carregada.

Os traços da autora são bons. Nada absurdo, mas não deixam a desejar. Ela usa traços mais finos, desenha personagens mais esguios, e capricha bastante na expressão facial dos mesmos. Não é o meu estilo de traço favorito, mas creio que a arte da autora casou bem com a história.

Edição

A edição brasileira custa R$ 29,90 e possui sobrecapa, papel offset e miolo colado e costurado. O tamanho da edição é igual ao encadernado japonês, ou seja, é um pouco menor do que os mangás que vemos habitualmente no Brasil. O volume 1 acompanha um marcador de páginas e possui uma única página colorida.

Edição com sobrecapa e marcador.

A qualidade no geral está muito boa. O mangá abre com facilidade, e o acabamento gráfico está perfeito. Não encontrei problema algum no que diz respeito a edição da NewPOP.

Vale a pena?

Romance e/ou slice of life não são meus gêneros favoritos quando estamos falando sobre mangás. Talvez pelas diferenças culturais e sociais, eu geralmente não consigo sentir empatia pelos personagens, e muitas das decisões e atitudes que eles tomam no decorrer da história, me parecem bobas e pouco prováveis na vida real. Contudo, essa é a minha visão como brasileiro para esse tipo de história. Sem dúvidas, no momento que os autores escrevem histórias do tipo, eles estão se baseando majoritariamente na sociedade japonesa, então essa estranheza que eu sinto é mais um choque cultural, justamente por vivermos em sociedades tão diferentes. 
Given entrega uma história interessante, que pode se desenvolver de várias maneiras, e é legal observar o papel que a música tem no meio disso tudo. E como disse anteriormente, a autora está desenvolvendo as coisas com calma, para que a relação entre os personagens pareça mais natural e mais plausível, o que na minha opinião, é um grande acerto. 
Por mais que obras do gênero não sejam meu forte, não posso dizer que Given é ruim. Na verdade, é uma história bem competente. Para aqueles que gostam de um mangá de romance, independentemente do gênero dos personagens envolvidos, Given muito provavelmente irá agradar. Para os fãs de Boys Love, também indico. E para aqueles que querem conhecer o gênero, acredito que possa ser uma boa porta de entrada.
Espero que tenham gostado. Até a próxima!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.