MB Review:”A Besta”: Uma nova visão sobre Miyamoto Musashi

A Besta (Shishi) é um mangá seinen, volume único, de autoria de Hideki Mori (artista de Novo Lobo Solitário). Começou a ser publicado em 2016 na revista Comic Ran Twins – Sengoku Bushou Retsuden da editora Leed.
Sinopse: A história do lendário espadachim Miyamoto Musashi é recontada sob a perspectiva do aclamado mangaká especializado em gekigá, Hideki Mori! Mori foi responsável pela nova adaptação do consagrado Lobo Solitário do Kazuo Koike e foi considerado pelo próprio Koike como o seu sucessor, tendo um estilo de desenho similar ao Gouseki Kojima, quem fez os desenhos originais do clássico. “Afinal, o que eu sou?” – essa resposta para esta pergunta, o jovem Mushashi Miyamoto se lança para dentro do turbilhão de lutas mortais. Para o Bennosuke – nome de infância de Musashi –, o único conforto era a sua irmã, já que ele não via mais outras razões para viver. Contudo, até isso é privado dele, quando a sua irmã é brutalmente assassinada por um desconhecido. Aqui está uma interpretação inédita do aclamado clássico, mostrando um Musashi nunca antes visto em traços estonteantes e envolventes.

O ano é 1596 na era Keicho, o protagonista da obra é Miyamoto Musashi, ou Bennosuke que é seu nome de infância, um jovem de apenas treze anos mas alto como um adulto. Ele que foi abandonado pelo o pai, já de início demonstra parecer ser um andarilho. A obra mostra logo que Bennosuke teve uma grande perda, a sua irmã, o amor da sua vida e decide ir atrás de vingança. Após ele conquistar seu objetivo, ele vai para outra aldeia. Ao chegar nesse novo local as pessoas o olham estranho, como sempre, pelo suas vestes e cabelos sujos, porém, ele não se importa nem um pouco do que falam sobre ele, ele apenas busca um novo objetivo de vida, uma forma de sobreviver e se sustentar. Enfim nessa segunda aldeia ele traça seu plano, ou seja, que vida ele quer seguir, mas o seu destino já parece ter sido traçado e ele é cruel. Esse destino novamente tira o plano de vida de Bennosuke de suas mãos.
Bennosuke não parece um rapaz que busca encrencas, mas inevitavelmente elas vêm até ele, e ele não tenta fugir delas, ele não procura, mas se alguém o perturbar ele não rejeita, talvez aquela honra, comum na época que não os permitiam fugir.
Percebo que a todo momento acontece alguma coisa com Bennosuke contra sua vontade e acaba sempre por dar errado. Na obra ele demonstra ser um jovem com vários sentimentos, raiva, solidão e até um certo senso de justiça, mas é empurrado para o “lado do mau” e também carrega um grande olhar triste e vazio que é bem demonstrado na obra por não conseguir se encaixar em nenhum lugar na sociedade.
Mas acontecimentos no decorrer da obra fazem com que Musashi, já homem, abrace seu destino e siga sua jornada.
Falando mais detalhes sobre a obra, ela tem bons traços, o mesmo apresentado na capa, são cenários que não tem uma alta complexidade de detalhes, mas como uma ótima carga em expressões faciais e movimentos, o que me agrada muito. As expressões de medo, de raiva e felicidade são bem marcadas e perceptíveis pelo traço de Hideki Mori. Aproveitando e falando um pouco sobre a construção da obra, ela me parece ter sido feita de uma forma um pouco apressada, você consegue ligar todos os pontos e entender perfeitamente a narrativa que é muita boa, mas você nota que se ela tivesse sido feita de uma forma mais detalhada seria mais rica, porém realmente é complicado trazer uma história em mínimos detalhes com um único volume de 264 páginas.

Mas, para quem não está por dentro, Miyamoto Musashi realmente existiu, um samurai bem conhecido da literatura japonesa e presente até em um RPG de tabuleiro. Outras obras sobre a figura histórica, que inclusive foram trazidas ao Brasil, como “Musashi”, obra em um box de 3 volumes de Eiji Yoshikawa pela editora Estação Liberdade (link) que provavelmente dá mais detalhes sobre a vida deste ícone da cultura japonesa.
Índico?Bem, se você gosta do tema samurai acredito que vale a pena ter na coleção, de qualquer forma se trata de um único volume, apesar dela não ser tão minimamente detalhada, conta uma boa história e pode te instigar a querer saber mais sobre o personagem já que ele é citado em outras obras, pelo o preço de R$29,90 (preço de capa). Vale a leitura, que é rápida, não é maçante e flui muito bem, tenho que deixar meus parabéns pela boa tradução e notas trazidas no mangá que deixam o leitor situado em alguns fatos históricos que talvez não conheça, então acredito sim valer a pena.

O mangá tem sua estrutura muito bem feita, nas suas 264 páginas de papel offset, conta com uma capa cartão com orelhas, a NewPOP trouxe em um formato tanko de 21 x 14,8 cm que pode ser adquirido através deste link na Amazon, lembrando que a obra conta com uma classificação +18 e tem cenas de nudez, sexo e violência. Onde comprar: http://compre.vc/v2/2511383ccba
Review por @wtf.edson

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.