MB Review: MOB PSYCHO 100 : Você não é especial, e está tudo bem!

Mob Psycho 100 é um mangá com adaptação em anime feito pelo Studio Bones, e do mesmo criador de One Punch Man, conhecido como ONE. E revendo essa obra, percebi que ela era diferente. Para mim, ela é uma história que consegue, de forma fantástica, ser bem normal.

   Shigeo Kageyama é conhecido como “Mob”
Vamos por partes! A apresentação    Mob Psycho:100 conta a história de Shigeo Kageyama, ou como é conhecido “Mob”, um rapaz com poderes psíquicos num mundo onde esses atributos são gerados das emoções e sentimentos. Mob acaba sendo encontrado por Reigen, uma espécie de “mestre” que o convida a trabalhar numa clínica de “exorcismos’. Porém, por conta de seus poderes exageradamente fortes, instintivamente Mob vive reprimindo seus sentimentos.
    Num primeiro contato, MOB é bem parecido com uma outra obra de ONE, One PunchMan, tanto Shigeo Kageyama como Saitama – protagonista de OPM – são complexados em serem os mais fortes de seus universos. Porém em MOB, a coisa é um pouco diferente…

                Mob e seu “mestre” Reigen
A superioridade usada como pretexto
    Vendo tudo que foi dito até agora, a narrativa até parece ser uma história de aventura. É aí que a série nos engana. Ao longo da trama, toda essa introdução se torna um subtexto, onde a obra brilha com seus ensinamentos. Algumas pessoas consideram MOBPSYCHO100 como uma espécie de “representação do niilismo”, em que não somos especiais e, mesmo que sejamos os seres mais fortes do universo, não importa. No fim, vamos morrer.
    Ao meu ver, a série até adquire uma visão otimista, nos colocando em uma posição tipicamente humana e nos mostrando o que realmente somos, como por exemplo 

[spoilers] na luta de Shigeo contra Hanazawa, outro jovem poderoso e que tinha um pensamento oposto ao de Mob. Por conta de seus poderes, Hanazawa acreditava ser o maior ser do universo e que tudo e qualquer coisa eram inferiores a ele. Após Kageyama o derrotar (e o arremessar pelos céus por não conseguir controlar seu poder), Hanazawa se dá conta do abismo que é a condição humana, de uma maneira simplista – cômica- mas impactante.  [/spoilers]

.

     Hanazawa toma consciência de si mesmo
A busca pelo sentindo em coisas simples
    Outra parte em que a história brilha é na interação dos protagonistas com todos a sua volta, cada personagem ou grupo tem um ótimo desenvolvimento e sua importância para o crescimento do protagonista. Como Reigen, o “sensei” do Mob que, mesmo não se dando conta, é um trapaceiro descarado, mas com um enorme peso filosófico na série. Como várias de suas falas, por exemplo: 

“Como ser rápido, inteligente ou ter um forte odor corporal, os poderes psíquicos são mais uma característica sua. Você deve aceitá-los como parte de si mesmo e ser positivo. O importante é ser gentil.”

    Reigen está sempre ensinando para Mob o valor da bondade e do respeito. E não para por aí, também há a influência do clube do fisiculturismo, que para Mob (o membro mais fraco fisicamente) é um dos exemplos para levar uma vida normal, focando em melhorar seu físico e se sentir melhor, e ao contrário do estereótipo de clubes de atletas físicos, que sempre mostra os atletas como caras maus e grossos. Aqui, os mesmos sempre tratam Mob de forma bondosa e sentindo orgulho dele, não importando sua condição física e dando valor ao Kageyama.

    Raigen e os atletas do clube Fisiculturismo
    Mob Psycho:100, para mim, foi uma lição. Shigeo Kageyama, apesar de ser um dos maiores telepatas e com poderes psíquicos, a narrativa não é inteiramente isso, a história é sobre se apegar a humanidade e valorizar seus sentimentos, é sobre conseguir correr 1km a mais e se sentir feliz, é sobre valorizar sua existência mesmo que para o universo ela seja efêmera e, principalmente, é sobre ser gentil com os outros, pois como o Reigen diz:

    A série animada de Mob Psycho:100 conta com 25 episódios e 1 OVA. Pode ser assistida na Crunchyroll. Já o mangá foi publicado aqui no Brasil pela Editora Panini, completo em 16 volumes.
Onde comprar: Amazon

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.