MB Review: Sunny Volume 1 – Um Slice of Life no literal da expressão

Bom dia, boa tarde ou boa noite. Como vai a vida de vocês? Estão bem ou com problemas? Força, que tudo irá melhorar um dia, a vida é assim…

E mostrando a vida como é, vamos falar de Sunny.

Sunny é uma obra de Taiyou Matsumoto, mesmo criador de obras incríveis como Tekkon Kinkreet (publicado aqui no Brasil pela editora Devir) e Ping Pong (anunciado pela editora JBC). A obra foi publicada entre 2010 e 2015 na revista Ikki (local de obras como Happiness) da editora Shogakugan. No Brasil a obra é lançada pela editora Devir desde 2020 com 3 edições.

Começaremos a falar pela edição da Devir. Ela segue o padrão do selo Tsuru. Uma sobrecapa cartonada com encadernação em brochura.. A edição é simples mas caprichadíssima, com páginas coloridas e detalhes biográficos do autor. Mesmo tendo 424 páginas, o que pode causar algum desconforto a ler, é uma edição muito bem feita, o que é comum da editora.

A história de Sunny não tem um protagonista específico, e sim um grupo de protagonistas, os moradores do internato Hoshinoko. A história começa quando o garoto Sei entra no internato e lá encontra diversos internos com histórias bem distintas e eles brincam com um carro antigo que não funciona chamado Sunny (Datsun Sunny, carro popular da Nissan nos anos 70 no Japão).

Nissan Datsun Sunny 1970,
 carro que dá nome a obra.

O carro neste volume é o símbolo desse internato, o foco do drama de cada personagem numa narrativa embriagante e emocionante. O modo que o mangaká coloca as situações, por muitas vezes tristes, é magistral e cativante. Você se torna um espectador privilegiado da rotina daquelas pessoas. E com isso acabamos pegando empatia e se emocionando com os problemas que elas vão enfrentando no decorrer do volume, e acabamos com uma sensação de “quero mais”, “quero ver o que acontecerá com esses personagens”.

Outro detalhe interessante é que o mangaká viveu sua infância/adolescência num internato, mesmo com uma vida difícil, ele soube colocar o seu ponto de forma sublime, criando um “Slice of Life” com uma qualidade imensa.

O traço, particularmente, achei inferior ao de Tekkon Kinkreet, mas é uma arte que combina com a narrativa, potencializando ainda mais a obra.

Os personagens são marcantes, dando destaque para o hiperativo e rebelde Haruo, o quieto e estudioso Sei, o carente e relaxado Junsuke e o adolescente trabalhador e confuso Keiji. Todos os personagens, independente de sua importância neste volume, são bem trabalhados.

Sunny merece estar neste selo criado pela editora Devir. Neste primeiro volume ela se mostra uma obra que vai te conquistando aos poucos, te seduzindo e te embriagando e ao final, a sensação de “quero mais” é o que fica.

Espero que o volume 2 me conquiste e me emocione ainda mais. Nos vemos lá.

Nota 8,5/10



Título original: Sunny Vol 1

Demografia: Seinen

Gênero: Slice of Life

Formato: 16 x 24 cm

Lombada: 2,5 cm

Estrutura: 424 páginas

Acabamento: brochura com sobrecapa

Editora: Devir



Caso queiram comprar o mangá:

Sunny #01 – https://amzn.to/3nYrkOd

Sunny #02 – https://amzn.to/3oZC8wX

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *