MB HQ’s: O Golpe da Barata

Le Coup de Cafard é uma expressão francesa que significa “estar com uma depressão profunda”. A tradução literal é ‘’O Golpe da Barata’’. Lançado em agosto de 2021 pela editora Comix Zone, este quadrinho é com certeza um dos mais pesados, porém necessários, e que trata um tema extremamente incômodo: abuso infantil.

Escrita e desenhada pela argentina Cecilia ‘’Gato’’ Fernandez, a obra conta a experiência própria da autora sobre abuso sexual intrafamiliar. Recomendamos que, quem tenha algum tipo de sensibilidade/gatilho com assuntos deste tipo, não continue a ler a resenha e a leitura da obra em si.

Enredo

A história começa nos mostrando Lucía, criança que mora com seu irmão, sua mãe, sua avó paterna e seu pai, Alberto. De cara vemos que Lucía é uma criança extremamente criativa, que gosta de desenhar e imaginar histórias, principalmente quando seu irmão chega da escola e ambos começam a brincar a tarde toda. Aos poucos somos apresentados aos outros membros da família e é nesse momento que os problemas começam…

Começando pela avó paterna, pessoa com a qual Lucía convive as manhãs até seu irmão chegar do colégio. Notamos que a avó não se dá bem com sua nora, mãe de Lucía, sempre falando mal e até mesmo xingando-a na frente de Lucia. Sua mãe, ocupada com o trabalho, chega tarde em casa, tendo pouco tempo para passar com os filhos. E chegando no principal problema dessa obra, Alberto, o qual é apresentado logo no começo da obra de uma maneira que o leitor se arrepia com o uso das cores e o desenho da autora para mostrar a podridão daquele ser. 

Com o passar de algumas páginas, é apresentado o assunto principal do quadrinho: o abuso infantil. Ao chegar em casa, Alberto vai ao quarto de sua filha, Lucía, e comete abusos contra sua própria filha e infelizmente a criança, sem entender nada, acaba se sentindo confusa e incomodada. Devido a ausência de alguém para desabafar sobre esses assuntos, Lucía costuma conversar com seus ‘’amigos imaginários’’ e com o bidê do banheiro, a qual ela imagina que é ‘’Deus’’. Obviamente é notado que as crianças não se dão bem com o pai e o enxergam como uma pessoa ruim. Ao passar da obra, vemos que o pai vai abusando cada vez mais de sua filha, que passa a enxergá-lo como a figura de uma barata, que são os ‘’bichos mais nojentos do mundo’’, como é dito logo nas primeiras páginas do quadrinho, e isso começa a influenciar mentalmente a criança, que chega a questionar até mesmo uma de suas colegas se seu pai a tocava de uma maneira diferente… Algo extremamente pesado de se ler. 

Vemos que o abuso sexual não é a única coisa tóxica com qual Lucía convivia. Seus pais brigavam muito a noite, chegando a gritar, fazendo ameaças e xingando um ao outro e vimos como as crianças ficavam com medo nesses momentos. Um conjunto de momentos que fazem com que o leitor fique indignado e com o coração apertado, principalmente por saber que seu próprio lar não é um lugar seguro…

Com certeza, ‘’O Golpe da Barata’’ é um dos quadrinhos mais difíceis de se ler, pois é tarefa difícil verr um pai abusando de sua própria filha e como somos apresentados a esse assunto no olhar de uma criança. Porém,  é uma leitura extremamente necessária, pois este tipo de abuso é algo que infelizmente acontece em várias famílias e que muitas vezes não é descoberto. Uma discussão que o quadrinho pode trazer também é sobre a importância da educação sexual nas escolas, algo que acaba sendo uma forma de proteção contra o abuso sexual e chegando até a fazer com que as crianças acabem desabafando sobre abusos que sofreram com pessoas próximas. 

A arte da autora causa um estranhamento no começo, mas tem seu motivo. A maneira com a qual ela retrata os abusos, o uso das cores e a forma a qual ela desenha a visão que Lucia tinha de seu pai são extremamente pesadas.

Um fato curioso é que ‘’O Golpe da Barata’’ é sua primeira graphic novel, algo extremamente corajoso, desenvolvendo uma história sufocante e necessária e servindo de aviso para muitas pessoas que possam ter parentes que sofrem desses abusos. A obra foi ganhadora do Concurso de Letras 2020 na Argentina e já foi publicada em diversos países como França, Itália e Espanha. 

A edição da editora Comix Zone é extremamente competente, tendo capa dura com acabamento soft touch, 112 páginas coloridas em offset e um marcador de página, custando R$ 69,90. Além da história em si, o encadernado conta com um posfácio escrito pela autora e com algumas ilustrações extras. É um dos quadrinhos que é necessário a leitura, mesmo sendo algo difícil de digerir e que vai fazer o leitor se sentir incomodado e angustiado após o término da obra. Um quadrinho que tem que ser lido por mais pessoas fora do eixo de leitores de gibi e que pode servir como um grande alerta social. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.