MB HQ’s: Rick and Morty #1

Rick and Morty, famosa série de animação de comédia e ficção científica, criada por Dan Harmon e Justin Rolland, também tem uma adaptação em quadrinhos. Mas a questão é: será que é tão boa quanto ao desenho animado? O MB Review de hoje será sobre o volume 1 da adaptação em quadrinhos, lançada no Brasil pela editora Panini.

Toda série animada famosa acaba ganhando adaptação em outras mídias e com Rick and Morty não poderia ser diferente. Nos Estados Unidos, os quadrinhos foram publicados pela Oni Press desde abril de 2015 até março de 2020. Escritas por Zac Gorman e grande maioria desenhadas por CJ Cannon, o primeiro encadernado da editora Panini compila os seis primeiros números da adaptação.

O primeiro arco desse encadernado nos mostra uma história na qual Morty quer ganhar dinheiro para mostrar ao pai que é responsável o bastante e acaba pedindo ajuda ao seu avô Rick para tentar ganhar alguma quantia de maneira fácil. Rick então lhe entrega um aparelho que prevê o futuro, fazendo com que eles ganhem na loteria intergalática.Tudo dá certo e eles acabam montando uma enorme empresa, porém são dedurados por Jerry para a jurisdição da lei temporal e mandados para outro planeta.

Esse arco se desenrola até o capítulo 4 do encadernado, acontecendo de tudo um pouco do que se espera de Rick and Morty, como viagem temporal, parasitas que assumem formas humanas, invasão de outra realidade, traição, e por aí vai.  Ao fim de todo capítulo temos histórias extras de poucas páginas focando em outros personagens, os dois primeiros sendo sobre a Summer, o terceiro sobre uma versão alternativa de Rick e Morty e o quarto sobre o Jerry, extras geralmente bem cômicos, sendo essas ilustradas por Marc Ellerby.

No quinto capítulo temos uma história curta, focando em um acampamento escolar de Morty no qual Rick é o monitor da turma. Neste capítulo, temos a aparição de um dos personagens clássicos da série animada, Terry Assustador, que pede ajuda a Morty para salvar o sonhoverso, transformando a história numa pegada um pouco mais de terror. A história extra deste capítulo é sobre a Beth. 

O sexto e último capítulo desse encadernado é uma história focada em outros personagens, combatentes de um exército em uma missão, sendo na minha opinião a mais fraca do volume, apesar de trazer referência aos episódios sobre a TV intergalática, que envolvem comerciais, séries e filmes de outros planetas.

Ao longo de todos os capítulos o leitor consegue fisgar várias referências a outros personagens apresentados durante a série animada como o Meeseeks, o já citado Terry Assustador e o Squanchy. A arte de DJ Cannon consegue se assimilar aos  traços do desenho animado, porém é notável em alguns quadros que a arte fique puxada a um estilo mais próprio desenhista. Isso não incomoda, uma vez que é uma adaptação em outra mídia. 

No geral, os quadrinhos de Rick e Morty conseguem divertir aqueles que vieram do desenho animado e é impossível não ler o volume todo sem imaginar a voz dos personagens lendo cada balão. Quem nunca viu a série animada pode acabar se sentindo um pouco perdido nesse primeiro volume, pois ele não explica muita coisa da ‘’mitologia’’ da série. Basicamente quem ama a série com certeza vai conseguir se divertir com essa adaptação, pois basicamente a essência de Rick and Morty foi mantida.

No Brasil, a editora Panini já publicou 4 volumes da série principal e também mais 2 da série de Rick and Morty vs Dungeon & Dragons. Todos os volumes da série são no formato americano, em capa dura com verniz localizado na capa e quarta capa, papel couché, todo colorido e geralmente numa média de 144 páginas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.