MB Review: Ao no Flag

Ao no Flag finalmente está em mãos e o mangá tão esperado por algumas pessoas veio só trazendo alegria, ainda mais com a periodicidade mensal (muitas pessoas não gostam, ainda mais por conta da crise que estamos vivendo, mas pra quem quer acompanhar é ótimo, pois acabamos não esquecendo tantos pontos da história). O título foi publicado na Shonen Jump + por Kaito, e foi finalizado em 2020 com 8 volumes.

 

Sinopse

Primavera do 3º ano do colegial, uma encruzilhada do destino. Taichi Ichinose acaba ficando na mesma classe de Futaba Kuze, uma garota da qual tinha uma certa aversão; e de Touma Mita, um amigo de infância e o cara mais popular da escola. Certo dia, Futaba confessa seu amor por Touma e pede ajuda para que Taichi ajude-a a se aproximar dele…?! Este é um romance onde três jovens formam novos “laços” afetivos em suas vidas!!

 

Os Personagens

Na trama, nosso personagem principal é Taichi Ichinose, um garoto que leva a vida discretamente, apenas com seu pequeno grupo de amigos, até que se vê obrigado a se separar deles, já que vão para salas diferentes no último ano do colegial. Lá ele encontra seu antigo amigo de infância, Touma Mita, um jogador de beisebol popular e amado por todos do colégio, que a partir desse momento deseja retomar os laços com Taichi.

Na mesma sala, inesperadamente, ele conhece Futaba Kuze, uma garota muito tímida que é conhecida por todos por ser extremamente desastrada, mas que, sabendo da amizade dos dois, se aproxima de Taichi, pedindo ajuda, já que nutre uma paixão por Touma. Mais adiante também conhecemos Masumi Itachi, uma garota firme e decidida que é a melhor amiga de Futaba e tem o desejo de a proteger a todo custo, sabendo o quão a garota é sensível.

Todos os personagens são incrivelmente humanos, e digo isso porque em um mangá às vezes personagens são apenas clichês que fazem coisas que normalmente não seriam feitas. Em Ao no Flag isso não existe, são adolescentes sendo adolescentes e se encontrando em suas vidas.

 

As descobertas no amor

Nesse primeiro volume não são tratados diretamente romances, na verdade se trata apenas do desenvolvimento dos personagens em si, da insegurança de alguns e de algumas dúvidas do passado e até do presente e futuro.

A adolescência sempre foi um período de descoberta. É claro que existem exceções e para algumas pessoas esse período pode ser tardio ou precoce, mas falando do mangá em si, cada momento tem sua importância e levanta questões sobre o futuro, sobre quem somos, sobre qual o nosso papel e sobre quem somos permitidos a amar.

E entrando nesse tópico, Ao no Flag é um mangá que traz a temática LGBTQIA+ e particularmente eu gostei muito do quão suave a história está sendo levada. Não é só algo fetichizado, mas algo que realmente nos transporta para questionamentos, principalmente se isso é certo ou errado ou como nós podemos saber se estamos realmente apaixonados ou se é uma amizade muito profunda.

Tá, mas vale a pena?

Eu não acho que esse mangá seja pra x ou y. É um mangá de romance, é pra quem gosta de mangás de romance e quer ver algo diferente, principalmente levando em conta ser um mangá LGBTQIA+, eu diria que pode ir sem medo, ainda mais se você ainda não leu nada com essa temática, agora é a hora e vamos experimentar. E talvez até possa abrir sua mente em experimentar coisas novas, Ao no Flag é o mangá perfeito para isso e dá aquela sensação de quentinho no peito, a cada volume que passa e isso só aumenta mais, pois é tão imersivo que nos sentimos como se estivéssemos ali no lugar dos personagens.

Caso queiram adquirir a obra, compre na Amazon

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.