MB Review: Dead Dead Demon’s Dededede Destruction #1

Eu particularmente sou um grande fã das obras do mangaká Inio Asano, talvez pela sua capacidade de transformar em arte toda a negatividade que a rotina tem, ou por que ele consegue tratar temas que, na maioria das vezes, são tabus (seja no Japão ou no mundo), e, além de claro, sua arte ser uma das minhas favoritas.

Tudo isso ganha uma forma ainda mais suburbana e tocante, utilizando do complexo da rotina metafórica e “caótica” em seu mais recente trabalho em serialização. Afinal, o mundo está se acabando, seja pela pandemia, por problemas sociais ou econômicos. Porém, mesmo assim, tudo que fazemos e podemos fazer é viver um dia após o outro, e talvez seja assim que devemos encarar as coisas. Ah, a propósito, bem-vindos à Review de “Dead Dead Demon’s Dededede Destruction #1”

“Dead Dead Demon’s Dededede Destruction” é um mangá escrito e ilustrado pelo autor Inio Asano, publicado na revista seinen “Big Comic Spirits” da editora Shogakukan desde 2014 e contando com 11 volumes até o momento. No Brasil, a obra está sendo publicada pela editora JBC.

A sinopse desse primeiro volume narra o inesperado surgimento de uma gigantesca nave alienígena nos céus de Tóquio. Seriam os visitantes amigos ou inimigos? Três anos se passaram sem resposta. Países até então rivais se aliam para tentar repelir os extraterrestres. Em meio a muita insegurança e informações desencontradas, os moradores da capital japonesa tentam retomar a sua rotina sem saber o que pode acontecer enquanto se questionam o sentido das escolhas que fizeram para a vida. É nesse cenário que as estudantes do Ensino Médio Ouran e Kadode irão precisar tomar decisões que impactarão diretamente em seu futuro.

– A narrativa

O primeiro volume da obra apresenta um Japão distópico. Dessa vez, o mundo se encontra cara a cara com o precipício, a Terra foi invadida e uma gigantesca nave mãe alienígena flutua sobre os céus das terras nipônica, mas algo parece estranhamente normal, trabalhadores continuam seguindo sua rotina, jovens continuam indo ao colégio, e problemas sociais presentes em situações normais continuam acontecendo… mas peraí, por que tá tudo tão normal?!.

Bem, é basicamente esse tipo de narrativa que o autor propõe, o efeito surreal e o caos da magnitude do universo é colocado em segundo plano para os problemas de uma vida permeada pela rotina de duas adolescentes, que continuam com bases da normalidade, mesmo com um perigo eminente de uma possível destruição da terra.

Algo que o mangaká da obra consegue, com maestria, é manter assuntos de segundo plano em destaque e utilizar eles como possíveis clímax nas relações dos personagens. Interações focadas em decisões colegiais, sonhos e pessimismo são sempre retratadas de forma fidedigna com a existência, e nesse primeiro volume não é diferente. Pelo contrário, cada um desses “tabus” ganham uma camada ainda mais tocante, já que a inserção de uma situação “apocalíptica” transforma esses momentos ainda mais intrínsecos à humanidade, o que favorece o questionamento da realidade e o “por que fazer isso?”

– Um olhar “maior” sobre as coisas

Ainda sobre o assunto acima, trazer esse mangá nesse momento em que estamos vivendo foi uma ótima cartada da JBC, já que ele retrata muito bem todos os padrões e situações em que a sociedade (não só a japonesa) se encontra, quer dizer, estamos à beira de uma desestruturação cultural e social, problemas financeiros, com um olhar ainda mais estreito sobre a moralidade, a situação pandêmica e disseminação de situações bizarras como propagações de fake news. Tudo isso me fez questionar: o que falta para o mundo colapsar?! Talvez seja isso, uma invasão alienígena. Ou será que esse planeta é tão bizarro ao ponto de que “eles” não querem nos visitar?

– Vale a pena?

Esse primeiro volume da obra serviu como uma ótima apresentação para o que essa narrativa tende a apresentar futuramente, questões sociais são bem colocadas e não de forma tão exagerada (por mais que a utilização do exagero, a princípio, pareça ser recorrente). A trama também parece ser bem dinâmica, os personagens principais são de fácil representação e carismáticos, onde em apenas em alguns diálogos é possível ser representados por eles.

“Dead Dead Demon’s Dededede Destruction #1” traz, de forma nunca vista antes, a ficção científica, que em vez de focar em um plano de extermínio contra alienígenas, ou na trama de um certo grupo destinado a acabar com o mal, ele simplesmente frisa na vida de duas adolescente que, graças ao acaso, nasceram nessa época e que, apesar de tudo isso, tem que continuar vivendo e continuar enfrentando um dia após o outro.

Agradecimentos especial à Editora JBC por ter no enviado o mangá. Caso queiram adquirir: https://amzn.to/3jRBtgu

“There’s a starman waiting in the sky
He’d like to come and meet us
But he thinks he’d blow our minds
There’s a starman waiting in the sky
He’s told us not to blow it
Cause he knows it’s all worthwhile
He told me: Let the children lose it
Let the children use it
Let all the children boogie”
– David Bowie.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.