MB Review: Pandora Hearts vol. 1

Oz é o filho mais velho da família Vessalius, uma das quatro grandes casas ducais, e sua cerimônia de maioridade se aproxima. Porém, o evento é interrompido com a chegada dos emissários de Abyss, que o acusam de um crime incompreensível.

“Uma vez, alguém disse que aquele lugar era tomado pela escuridão, mas isso não queria dizer que lá não existia luz.”

Oz Vessalius, herdeiro da família Vessalius, é um garoto animado e brincalhão que adora pregar peças e explorar o terreno da mansão da família. Seus dias passam-se na companhia de sua irmã mais nova, Ada, e seu melhor amigo e servo, Gilbert.

Durante um de seus passeios pela propriedade, o jovem Oz sente-se atraído por uma música não muito longe. Ao aproximar-se do som, que apenas seus ouvidos haviam captado, ele e Gilbert caem dentro de um túnel subterrâneo ao plano onde se encontravam.

Caídos sobre uma escadaria, se deparam com um túmulo desconhecido logo à frente.

Pendurado na cruz da lápide, encontra-se um relógio de bolso antigo. O objeto que estava produzindo o som que fascinou Oz e os colocou dentro deste buraco.

Antes mesmo que possa se dar conta do que está acontecendo, o garoto acaba dentro de uma pequena sala desconhecida no segundo em que segura o tal relógio.

Ele não sabia naquele momento, mas aquele foi o primeiro contato de Oz com o Abyss.

“Eu, o portador da corrente do julgamento, sentenciarei seu veredito. Seu crime é sua própria existência.”

Sem saber o que exatamente havia presenciado, Oz e seus companheiros de aventura devem retornar à casa para se preparar para a noite, afinal, hoje é o dia do seu décimo quinto aniversário e uma cerimônia de maioridade a ele será imposta. 

O jovem não está exatamente animado para sua tão esperada cerimônia. Nem mesmo seu pai irá comparecer. Entretanto, não é um acontecimento que ele possa evitar, e pelo menos seu tio Oscar estará ao seu lado realizando a cerimônia.

Porém, quando Oscar Vessalius empunha a espada de batismo sobre Oz, o silencioso relógio volta a funcionar como se não estivesse em completo repouso durante todos esses anos. Ao som das badaladas do tempo, emissários do Abyss irrompem o cômodo e preparam-se para enviar o garoto para Abyss.

Abyss

Para Oz e a maioria das pessoas, especialmente as crianças, Abyss é nada mais do que uma lenda. Quase como nossos ditos populares, o abismo é citado como uma ameaça vazia apenas para assustar os outros.

Afinal… o que é o “Abyss”? É dito que é uma prisão para onde as pessoas más são levadas. Quem é enviado ao abismo jamais volta. É de senso comum que os emissários vão atrás daqueles que cometeram os piores crimes e os levam para um lugar apavorante.

Um lugar apavorante, de fato, o abismo existe em uma dimensão paralela e é o mundo de onde as “Chain” vêm. Estes são seres que nascem em abismo e possuem semelhança a brinquedos, mas de uma forma horrenda. E Abyss é o lar dessas criaturas e o lugar de onde elas nunca deveriam sair. Acontece que algumas chains são capazes de deixar, mesmo que momentaneamente, o abismo. É o caso de uma das mais famosas bestas locais, o coelho sangrento B-rabbit.

Em seu primeiro volume, conhecemos os principais protagonistas da série, Oz e Alice. Podemos compreender apenas um pouco sobre eles, pois, se tratando de uma obra fantástica, a história tem muito o que introduzir.

O quadrinho teve seu início bem trabalhado e inseriu vários elementos que provocam o leitor a prosseguir sua leitura para conhecer mais sobre esse mundo ao qual foi apresentado nesta edição. Uma história de belos traços e um grande potencial.

Pandora Hearts é um mangá de Jun Mochizuki, lançado no Brasil em 2016 pela Panini Comics, sendo publicado bimestralmente entre abril de 2016 e março de 2020. Com os gêneros fantasia, mistério, ação e romance, a obra possui, ao todo, 24 volumes e ganhou uma animação de 25 episódios em 2009, que não foi capaz nem de começar a mostrar a trama de Pandora Hearts. Jun também é autora dos mangás Crimson-Shell e The Case Study of Vanitas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.