MB Review: Xerxes

Após 20 anos, a continuação do aclamado clássico de Frank Miller, 300 é lançado. Porém não é nada que os fãs esperavam. Confira nossa análise de Xerxes- A queda da casa Dario e a Ascensão de Alexandre.

Histórias antigas sempre despertam o interesse das pessoas. Filmes como Alexandre, Tróia, Spartacus, sempre fizeram sucesso no cinema por contarem jornadas épicas de grandes guerreiros. Frank Miller é um aficionado por essas histórias, porém tenta com dificuldades contar uma história de relação de ódio entre os Persas e o ocidente.

Xerxes – A queda da casa Dario e a Ascensão de Alexandre não é uma continuação de 300. Funciona mais como um complemento da história anterior.

Sua narrativa conta o momento em que Dario I e seu exército invadem a Grécia até o fim do império Persa com a vitória de Alexandre,o Grande sobre Dario III.

Daí começam os problemas com a HQ. A história a princípio é vendida sobre Xerxes e sobre os acontecimentos pós os eventos de 300. Xerxes perde a batalha contra os Gregos após vencer o Rei Leônidas, a ponto de perder o ímpeto militar e se retirar para a Ásia. Isso simplesmente não é mostrado.

A HQ se resume em três partes. A Derrota de Dario I , evento que antecede a HQ 300, a criação distorcida de Xerxes e sua morte e finalmente,  a derrocada do império Persa. 

Tudo é contado sem conexão, literalmente jogado, sem carinho ou algum cuidado com o leitor. Sem narrativa ou coerência ao se contar uma história. Isso é ruim porque exige que o leitor tenha um certo conhecimento de história e não o incentiva a procurar mais, como 300 faz.

E o principal, ao contrário de 300, Miller romantiza os persas de forma errônea, dentro de fatos considerados inverídicos e incorretos. Mesmo que a derrota de Leônidas tenha sido romantizada em 300. O autor deixava claro que era a sua visão dos fatos, o que não ocorre em Xerxes.

A arte de Miller tem uma queda de qualidade,  porém cenas de batalhas épicas em formato de storyboard continuam, porém sem o brilho de 300.

As cores também mudam para um tom mais sombrio e denso de Alex Sinclair, que acompanha Miller em diversos trabalhos. Essa mudança não é ruim, mas deixa as cores da HQ em tons mais azuis e sombrias, totalmente diferente de 300.

Xerxes – A queda da casa Dario e a Ascensão de Alexandre é uma HQ que só funciona para os fãs incondicionais de Frank Miller. É uma HQ confusa e desnecessária, que mancha o legado do autor e reafirma que o mesmo não sabe continuar suas obras. 

Agradecimentos a editora Devir pelo volume cedido para análise.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.