MB Animações: Paripi Koumei

Um estrategista de guerra que travou inúmeras batalhas durante a China do século III, em leito de morte, deseja renascer em um mundo pacífico. O pedido é realizado, Kongming renasce séculos depois em Tóquio, onde conhece Eiko e sua voz encantadora que o motiva a ajudá-la em sua para se tornar uma cantora mundialmente conhecida.

A recente temporada de primavera nos agraciou com animes que, antes mesmo de estrear, tinham alguma expectativa. As continuações Kaguya-sama: Love is War e Komi-san wa, Comyushou desu, e os lançamentos Shikimori‘s Not Just a Cutie e Spy x Family são exemplos. Mas dentre esses temos um título desconhecido que surpreendeu até mesmo os garimpeiros de temporadas, no caso Paripi Koumei, ou Ya Boy Kongming!

O anime possui uma premissa peculiar sobre a vida do estrategista chinês Kongming, que no passado, antes de morrer, desejou paz em uma vida futura. Ele renasce em uma época bem distante e em Tóquio. Lá conhece Eiko, uma garota que sonha em viver da música e que passa a ter em Kongming um regente fiel que medirá todas as estratégias possíveis para que ela encante o mundo com a voz.

Algo genial na história é ver Kongming aplicar seus estratagemas em favor de Eiko. O personagem é baseado na figura de Zhuge Liang, que segundo a história chinesa, viveu entre os séculos II e III durante o período dos Três Reinos. Ver um personagem que tem algo histórico por trás, com a aparência e os estratagemas reais utilizados em guerra, adaptados às situações do anime é algo incrível.

Além dessa dinâmica, a música também é um elemento importante e vivo na história. Com a forte relação dos personagens com o mundo musical, os seus dilemas e objetivos são apresentados e desenvolvidos a partir da ligação. E falando de música, não poderíamos ficar sem mencionar a abertura chiclete do anime ‘’Chitty Chitty Bang Bang”. A música de abertura que viralizou e foi um dos principais motivos da história para que a história fosse conhecida.

 

Paripi Koumei não possui uma animação de ponta, porém o estúdio P.A. Works trouxe algo funcional e bem dirigido em cima do enredo. Com um acerto brilhante na abertura, uma proposta excêntrica e um personagem principal carismático, o anime sem dúvidas foi uma das séries mais interessantes da primavera.

Episódios: 12

Direção: Shu Honma

Estúdio: P.A. Works (Charlotte)

Gêneros: Adult Cast, Musical 

O anime adapta o mangá escrito por Yuto Yotsuba, com ilustração de Ryo Ogama. É serializado desde o final de 2019 na revista Comic Days da editora Kodansha. 

O tema de abertura do anime, cantado pelo grupo Queendom, é um cover da música “Ciki Ciki Bam Bam” do músico húngaro Jolly-Bulikirály.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.