MB Nacional: Para todos os tipos de vermes

Para todos os tipos de vermes é uma HQ publicada no projeto Narrativas Periféricas da editora Mino. A obra nos coloca em um cenário apoteótico, não deixando de refletir nosso mundo atual. Um mundo no qual vermes são necessários para a sobrevivência da humanidade. Mas essa é só uma parte da história…

A obra foi publicada por Kyone Ayo, uma das vencedoras do Narrativas Periféricas da Editora Mino, que busca trazer novos autores, temas e comunidades pouco visibilizadas pelas editoras.

A história se passa em um universo onde os humanos habitam vermes. Um mundo que esconde muitos segredos e persiste em manter os aspectos sociais que se perpetuam em nossa realidade.

A obra traz interessantes debates sobre segregação e a manutenção do status quo da parte privilegiada da sociedade.

A história é protagonizada por Anokye, uma intestinal que compartilha uma forte amizade com seu primo e uma amiga, que sofreu uma morte traumática após desenvolver uma doença que seria letal para a maioria dos que sofrem do contágio.

A trama se desenrola a partir do momento que Anokye e seu primo entram em contato com um habitante da Região Lipídica, local onde as pessoas vivem com melhor qualidade de vida e privilégios, detendo informações chocantes sobre as sociedades em que os vermes vivem.

A HQ é bem curta, e sinto que esse é um dos defeitos da obra. Diversos conceitos são adicionados, mas nenhum parece ganhar destaque. Obviamente, são referências a processos de segregação que observamos na realidade, mas parte da história parece se esvaziar em meio ao tamanho da trama.

Um dos melhores momentos da obra é o diálogo no ato final, mostrando que está longe de existir uma resposta simples para o enfrentamento de processos tão impregnados em nossa sociedade. A falta de acesso aos direitos básicos e o impacto humano sobre a natureza, não são problemas simples e não existem apenas em distopias.

A arte da obra é em preto e branco. Possui um traço muito bonito e exprime muito bem as características individuais de seu desenhista, ainda que o excesso de informações nos quadros acabe tirando um pouco da emoção. 

Para todos os tipos de vermes é uma história que não me empolgou. É difícil não sentir que as expectativas foram um problema na minha leitura, visto que os temas abordados são de meu interesse, mas se torna superficial quando a narrativa parece perdida em um universo tão densamente ocupado de conceitos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *