MB Animações: Assim falava Kishibe Rohan – A bizarra odisseia de um Mangaká.

Animes

Há algum tempo chegou na Netflix o anime “Assim Falava Kishibe Rohan”, um Spin-off da franquia “Jojo’s Bizarre Adventure” tendo como protagonista Kishibe Rohan, um mangaká no mínimo excêntrico.

A história segue o personagem Rohan Kishibe, um famoso artista de mangá que quer dar mais realismo às suas obras e, por isso, acaba por se meter nas piores e sombrias aventuras graças ao seu jeito egoísta e gocêntrico.

-A narrativa

A adaptação para anime é uma OVA dividido em 04 episódios de uma coletânea de contos sobrenaturais e consequentemente “bizarros” do mangá de mesmo nome “Thus Spoke Kishibe Rohan”.

Todo o roteiro e design veio do criador original de “Jojo’s” (Hirohiko Araki), então espere o máximo de exploração em uma narrativa extremamente excêntrica (e, no mínimo, estranha).

Nela teremos contos em mansões, academias e museus, e todas com os plots mais aleatórios (e por incrível que pareça, intrigantes) possíveis.

A obra consegue te manter interessado no que vem a seguir de maneira sucinta, sem parecer forçado, (sou suspeito a falar já que sou fã tanto do personagem como a obra), mas por mais aleatórios que seja, os clímax das histórias, eles entregam finais coerentes para sua proposta base.

Ah, mesmo que você não tenha se aventurado na obra principal “Jojo”s Bizarre Adventure” é possível tirar bom  proveito do Spin-off, mesmo não conhecendo seu universo central.

– A estética

Para esse tópico em específico, somente um podcast (Inclusive, visitem o nosso: ‘Mangá com Leite’) ou um artigo para explicar a magnitude das inspirações estéticas de Hirohiko Araki em suas obras. A história tem por base de design o estilo usado na animação de “Jojo’s Bizarre Adventure: Golden Wind”.

Portanto, o anime entrega os designs de personagens extremamente expressivos, com suas famosas “Jojo Pose”, sendo riquíssimos em detalhes estéticos, como as roupas ou acessórios; A ambientação e a trilha sonora também se mantém bem agradáveis, para cada tipo de antologia que a obra aborda.

-Vale a pena?

Mesmo sendo um Spin-off de uma obra com mais de 07 partes, ou mesmo para você que não conhece nada do universo, é mais que possível extrair boas risadas e arrepios em diversas cenas, então, com toda certeza, vale o experimento.

Também não espere nada mirabolante, o peso artístico das obras deste autor é justamente entregar uma narrativa simplória com diversos elementos que favoreçam a aleatoriedade, já que seu objetivo é exatamente esse, causar espanto e ser esteticamente atraente e “Bizarro”.

Um prato cheio para os fãs de artes, terror, anatomia e resoluções de mistérios…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *