A Arte de Naoki Urasawa

Está em exposição no Paris Rendez-Vous do Hôtel de Ville, em Paris, a mostra A Arte de Naoki Urasawa. Essa exposição foi apresentada inicialmente no Festival Internacional de Quadrinhos de Angoulême, o maior festival de quadrinhos da França, com a presença do autor.

Eu estive nessa exposição no sábado, dia 10 de março, e trouxe algumas fotos e pequenos comentários sobre os itens apresentados. Farei um texto aqui procurando manter o sentido da exposição, como se fosse um passeio virtual. Que fique já avisado, alguns quadros na exposição apresentam spoilers para quem não leu as obras.
Logo no início somos recebidos por uma foto do autor Naoki Urasawa, e um texto resumido sobre a exposição, onde veremos rascunhos, quadros e ilustrações do mangaká.

Depois somos apresentados a um enorme quadro da obra mais recente de Naoki Urasawa: Mujirushi, feita em parceria com o Museu do Louvre. Acompanhando o quadro, temos os dois primeiros capítulos dessa obra.

Seguindo temos a apresentação de Monster, onde somos presenteados com um capítulo da obra (à partir desse ponto, quase todos os capítulos apresentados são centrais ou finais das obras), um boneco e dois quadros da obra.

Agora nós temos alguns quadros explicativos sobre temas que compõe as obras de Urasawa, como ele utiliza referências do mundo, a infância, e como ele representa a descoberta de identidade em suas obras.

Outras duas referências que vem seguidas são a representação do mal e da humanidade salvadora, seguidas de um enorme quadro do confronto de Tenma e Johan, e um manequim do Amigo de 20th Century Boys.

Iniciando e exemplificando as diferentes representações de arte nas obras, temos o primeiro capítulo de Billy Bat e seu story board.

Seguindo, somos apresentados à Pluto. Releitura de Astro Boy pelo Naoki Urasawa.

Uma parede inteira foi reservada para diversos quadros coloridos (aquarelas?) de todas as obras do Urasawa.

Happy! foi publicado entre 1993 e 1999. Confesso que nem lembrava dessa série de Urasawa.

Pineapple Army foi a primeira série longa publicada pelo autor, entre 1985 e 1988.

YaWaRa! é a série que eu fiquei mais empolgado de ver na exposição (o quadro ajuda muito), porém é uma das duas do Naoki Urasawa ainda não publicada na França, sendo a outra a mais recente, que já foi anunciada para o final do ano.

20th Century Boys (esqueci de tirar foto do capítulo apresentado)

Aqui uma novidade para mim. Não sabia que o Urasawa trabalhava em mais de uma obra ao mesmo tempo.

Três outros assuntos são abordados nas obras de Naoki Urasawa: Ditaduras, muros e trabalho.

Agora um pouco dos trabalhos anteriores do Urasawa. Começando com um desenho dele aos 6 anos, que serviu de inspiração para o desenho no caderno de inspirações de 20th Century Boys.

Alguns cadernos de desenho, desde seus 8 anos até o colégio.

E uma adaptação do romance Rashômon, aos 15 anos, em 1975.

Na exposição tinha também alguns one-shots publicado antes das grandes séries, que seriam (em ordem do mais antigo para o mais novo):
Return (1982)

Beta!! (1983)

N.A.S.A (1984)

O Policial Dançante (1984 – 1986)

Ao final da visita, tinha uma boutique com praticamente todos os mangás do Urasawa lançados na França (os que eu estava mais interessado, YaWaRa e Happy, ou não foi lançado na França, ou não tinha os primeiros volumes). Tinha também cartões postais e pôsters. Acabei comprando somente o volume de compilação de one-shots, já que é o título mais difícil de se ter uma versão nacional.

#################
Quem sabe, no futuro, em que o Brasil desponte como um bom mercado de mangás, não teremos exposições assim também?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.