MB Novel: Death Note – Another Note, ou o Caso dos Assassinatos de Los Angeles

“Quão pesado deve ser o peso carregado pelo grande detetive do século?Quão grande deve ser o sofrimento sentido por solucionar tantos mistérios… Ontem, hoje e amanhã? Um peso tal qual faz suas costas se curvarem para frente. Um sofrimento tão amargo que o torna um voraz consumidor de açúcar”

“São as últimas palavras de alguém que não sou eu para um lugar que não é o mundo” – Mihael Keehl.

  

     Death Note Another Note: O caso dos Assassinatos em Los Angeles (Ou BB Case) conta a história de um dos casos do detetive L, anterior ao caso Kira, e é narrado pelo seu “sucessor de direito” Mihael AKA Mello. Junto à agente Naomi Misora (leitores de Death Note devem reconhecer esse nome também), L investiga intrigantes assassinatos e busca decifrar as misteriosas pistas deixadas pelo serial killer, numa emblemática luta de inteligência e perspicácia.  Porém, em meio às investigações, uma estranha conexão do assassino com o próprio L vem à tona, tornando o caso ainda mais complexo e imprevisível. “São as últimas palavras de alguém que não sou eu para um lugar que não é o mundo” – Mihael Keehl.

O caso dos assassinatos do boneco de palha

    Três assassinatos sem resolução, cenas dos crimes enigmáticas e um único ponto em comum: bonecos de palha. Uma série de mortes em uma das maiores cidades dos Estados Unidos que deixaram a polícia sem ação investigativa. Mesmo sendo um caso pequeno e distante da realidade do misterioso detetive, L se envolve para a solução desse mistério. 

    Quem é L? Uma das maiores mentes da humanidade e o maior detetive que já se teve registros. Chamado de O Grande Detetive do Século, somente seus registros oficiais já contavam mais de três mil casos complexos resolvidos. “Dizia-se que L tinha por princípio não se envolver em crimes com menos de dez vítimas ou com prejuízo inferior a um milhão de dólares (p. 10)” mas, mesmo assim, o detetive manda uma misteriosa mensagem de e-mail para Naomi Misora, agente afastada do FBI, pedindo-a que entre em contato para tratar da resolução do “Caso dos Assassinatos do Boneco de Palha”.
        Os motivos de L serão explicitados até o final do caso, mas enquanto aos motivos de Naomi? A própria investigadora perguntava por que ela havia sido escolhida por L. Afinal, ela estava afastada de seu cargo após ter falhado na missão anterior e constantemente se questionava se seria capaz de continuar a atuar na polícia de Los Angeles. “Uma agente altamente capaz”, foi como L a descreveu.

    “Primeiramente, devemos conhecer as linhas gerais d’O Caso dos Assassinatos de Los Angeles. No dia 31 de agosto de 2002, um homem foi assassinado dentro de seu quarto, na casa em que morava sozinho […]. Seu nome era Believe Bridesmaid […]. A causa mortis: estrangulamento” (p.20).

    “O segundo homicídio aconteceu quatro dias depois, no dia 4 de agosto de 2002. Desta vez, o crime aconteceu em um quarto de um apartamento da 3rd. Avenue, no Downtown. A vítima foi Quarter Queen, do sexo feminino. Causa mortis: Espancamento” (p.20). 

    “[…] em 13 de agosto de 2002, o terceiro assassinato foi cometido. […] A vítima era Backard Bottomslash. […] Dessa vez, foi morte por hemorragia provocada por mutilação. Estrangulamento, espancamento, mutilação – a cada vez, o criminoso empregava um meio diferente para matar suas presas, dando até mesmo a estranha impressão de que estaria testando alguma coisa. Contudo, a grande característica era o fato de não ter deixado nenhuma evidência relevante” (p.21).  

        Dado os detalhes dos três assassinatos, não vemos semelhança entre eles num primeiro momento. As causas das mortes não se assemelham e as cenas do crime são distintas, tendo eles apenas dois únicos pontos em comum: os bonecos de palha e o locked-room mystery, situação de quarto fechado tendo apenas as vítimas do lado de dentro. Há uma importante observação quanto aos bonecos: na primeira cena do crime, haviam quatro. O número de bonecos foi diminuindo, três no segundo crime e apenas dois no terceiro homicídio. Essa semelhança prenuncia um quarto crime, quando enfim haverá apenas um boneco na cena. 

        A partir daí, acompanhamos Misora investigando cada uma das cenas do crime na busca de pistas que a polícia de Los Angeles possa não ter encontrado. Sob os conselhos e à mando da figura misteriosa de L — com a qual Naomi apenas se comunica por mensagens ou telefonemas — Misora analisa detalhadamente a cena do primeiro assassinato em um longo diálogo, com muitas deduções e jogos mentais. O que Naomi não esperava é que uma figura misteriosa estava presente no cômodo com ela. Embaixo da cama havia um estranho jovem de cabelos pretos, camisa branca e jeans azul, o detetive particular Ryuzaki. 

    Ryuzaki é contratado pelas famílias das vítimas para solucionar o mistério, mas esbarra na investigação de Naomi. Ele a acompanha a partir daí e visita os demais locais com ela, sendo cada capítulo dedicado a uma visita e ao diálogo e debate sobre as pistas e evidências que encontram. Confesso que o desenvolvimento deste ponto em diante fica arrastado devido às longas — e surreais — deduções dos agentes. O autor monta uma linha de raciocínio e investigação detalhada e massiva, apontando exatamente para onde a inquirição deve seguir. O caso vai ganhando contornos e desperta a curiosidade, prendendo a atenção mesmo com os excessos de dados, cálculos e inferências.

        Toda a investigação culmina no prenúncio do quarto crime. A essa altura da história, já sabemos que Naomi Misora não foi selecionada ao acaso, ela realmente se prova altamente capaz e seu raciocínio sobre os crimes chega perigosamente no limiar de solução que o assassino não quer expor. Embora sejamos apresentados ao assassino desde o início da história (Beyond Birthday), Naomi o desvela capítulo a capítulo, com uma perspicácia e perícia estonteante. Detalhes importantes para entender o assassino são discutidos entre os agentes: a afinidade pelos nomes com iniciais iguais, a obsessão pelas datas e números, as pistas “plantadas” e os “deslizes” propositais nas cenas do crime. Tudo isso é dialogado entre Naomi e Ryuzaki, e posteriormente debatido com L por telefonema. 

    Naomi é sagaz e captura nos detalhes, nas breves falas e nas pequenas brechas a solução do caso. O que culmina no final surreal da trama onde, em poucas páginas, todas as certezas que tínhamos cai por terra e o assassino é revelado. Sim, revelado! Embora desde o começo sejamos apresentados ao assassino, sua “identidade” é mantida sigilosa até o fim da trama. Ponto mais que positivo para NisioisiN, que consegue, com maestria, traçar narrativas paralelas dentro da obra sem estragar ou entregar a experiência final.

The Los Angeles BB Murder Cases – L.A.B.B (L is After Beyond Bithrday)

    “O primeiro caso em que L se chamou de Ryuzaki”. Assim o autor justifica a importância da narrativa do caso que escreve em suas notas. Já nesta introdução é perceptível a obsessão admiração que Mihael Keehl sente pelo Detetive L. Não seria tão pouco, visto que ambos cresceram no mesmo orfanato e tiveram semelhante treinamento para se tornarem detetives. A relação dos dois rompe a barreira da novel, mas não é algo que atrapalhe a leitura. Conhecer previamente “Mello” só anima um pouco mais as coisas.

    Essa admiração obsessiva por L é também o ponto de convergência do narrador com o personagem principal da obra, Beyond Birthday. Dizer que BB é o personagem principal dessa história é algo que certamente descontentaria Mello e inflaria o ego de Beyond, mas me atrevo a colocar assim. 

        Beyond Birthday, podemos chamá-lo apenas de B agora, também foi criado na Wammy’s House e foi treinado para ser o sucessor de L. A explicação para seus atos fora um desejo profundo de superar L, não substituí-lo. Tamanha determinação que ninguém seria capaz de detê-lo e, para isso, enfrentaria a própria morte e provaria ser aquele que superou o maior detetive do mundo. Bom, esse era o plano. E teria dado certo se B não tivesse subjugado as capacidades de Naomi Misora que, por reduzi-la a uma mera ferramenta de L, não pode prever nem prevenir as ações da detetive que levaram a solução do caso, a prisão de B e ao fracasso no seu plano de arquitetar o caso insolúvel de L. 

    Dentro de seu plano mirabolante, B criou cenas de crime “perfeitas”, com pistas sagazes que só seriam mesmo ressaltadas aos olhos de L, ou de Naomi, para sua surpresa. Uma das minhas prediletas e que vale a pena citar aqui faz parte da trama do segundo homicídio, o de quarter queen, grafado aqui propositalmente com letras minúsculas pois é essa a explicação para a escolha da jovem como vítima, afinal B era fascinado por nomes que possuíam iniciais iguais às suas e a letra Q, quando escrita minúscula, é um pequeno b invertido. Logo, quarter queen, uma criança “pequena, minúscula”, morta por espancamento, teve seu corpo deixado de barriga para baixo, “invertido”. Esse é um exemplo de uma das “sacadas” de Naomi em seus diálogos difíceis e intrincados com Ryuzaki. 

        A cena final da novel explica a afirmação de Mello no começo da narrativa. Realmente, esse foi o primeiro caso em que L usou o nome Ryuzaki. Essa afirmação pode ter enganado um pouco no começo da leitura, onde estávamos propensos a acreditar que Ryuzaki era L, e essa é uma sacada genial do plot. Ao fim da narrativa, Naomi se encontra com um jovem misterioso numa estação de trem e, após confrontá-la, o rapaz alto de cabelos negros, camisa branca e jeans azul se apresenta: Chame-me de Ryuzaki.  

Another novel: L change the WorLD

    As duas light novels de Death Note foram publicadas no Brasil pela editora JBC no ano de 2011. De igual qualidade gráfica, L Change the World completa a coleção da editora das obras de Ohba e Obata. 
    Death Note: L Change the WorLd traz aos leitores e fãs o último fatídico caso de L, o maior Detetive do Mundo. Uma organização terrorista planeja utilizar um novo e mortal vírus para exterminar grande parte da humanidade. Apenas L será capaz de solucionar mais este intrigante caso. Porém, o detetive terá que pôr à prova todas as suas capacidades dedutivas para salvar o mundo o mais rápido possível, pois lhe restam apenas 23 dias de vida…  
    Ficaram curiosos? 
  A novel é adaptação do roteiro do live action homônimo e pode ser o tema do nosso próximo MB Novel, o que acham? 



Ficha técnica
Death Note – Another Note: O Caso dos Assassinatos em Los Angeles

Autor:NisioisiN, Tsugumi Ohba/Takeshi Obata
Formato:14,0 x 21,0 cm
Páginas: 176
ISBN: 978-85-7787-389-0
Preço de capa: R$29,90
Lançamento: 07/2011
    Infelizmente, a light novel está esgotada na editora e não houve previsão de reimpressão. A edição contava com uma página em papel vegetal, um charme à parte. Capa cartão sem orelhas, diagramação agradável e letras um pouco pequenas demais. A edição nacional foi impressa em papel offset e tem uma página colorida no início e ilustrações originais de Obata em cada capítulo.



Por Mariana Rickheim. Redatora da MB, professora, historiadora, revisora literária e especialista em Literatura. Nas horas vagas, otaku, e perdidamente apaixonada por um certo Shinigami amante de maçãs. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.