MB Listas: 5 mangás maiores que One Piece

Muito em breve, One Piece chegará ao seu vol. 100! Provavelmente, saindo ainda este ano, será um volume histórico. E com isso muitas pessoas acabam tendo a visão de que One Piece é o maior mangá de todos os tempos, mas isso não podia estar mais errado.

Agora no mês de Julho de 2021, um outro mangá completou a marca de 201 volumes publicados, sendo o atual recordista de volumes de uma mesma obra.

Em homenagem a este outro mangá histórico, vamos mostrar aqui 5 mangás que são maiores que One Piece pra que você lembre que não importa o quanto você ache One Piece longo, tem sempre coisas bem maiores.

1 – Golgo 13

E começando a lista com o tal recordista. Golgo 13 é um mangá seinen escrito por Takao Saito na revista Big Comic da Shogakukan. O mangá, como dito na chamada, bateu recentemente 201 volumes vendidos, se tornando o primeiro mangá da história a ter o número 201 escrito em sua capa. Não se preocupe se a frase ficou estranha, vamos explicá-la mais pra frente ainda nessa lista.

O mangá é publicado desde 1968, sendo o mangá mais antigo ainda em publicação da atualidade, e conta a história de Duke Togo, um assassino profissional cuja identidade, idade e quaisquer tipo de informações pessoais sobre ele são completamente desconhecidas.

A história acaba trabalhando com missões fechadas, para deliciar aquele fã de obras como Hitman: 47 ou A Saga Jason Bourne. Além do profissional ser um personagem bem forte, as missões tem diversos planos de fundo históricos.

E, para a surpresa de algumas pessoas aqui, Golgo 13 já foi sim publicado aqui no Brasil!

A JBC em Janeiro de 2010 começou a publicação de algumas missões em uma coleção que teve 3 volumes.

O mangá ainda está em publicação e recebeu um recorde no Guinness.


2 – Kochikame

E já que falamos sobre o recorde, vamos para o antigo recordista até então. Kochira Katsushika-ku Kameari Kōen Mae Hashutsujo, apelidado carinhosamente de Kochikame, era um mangá publicado na Weekly Shonen Jump, iniciado em 1976 e se encerrando em 2016, com 200 volumes.

O mangá é uma comédia que mostra um grupo de policiais, sendo o principal deles Ryo-san, e trabalha com a trama de uma maneira bem episódica, mostra o grupo buscando formas de conseguir dinheiro, inventando equipamentos para faturar ou fazendo diversas outras coisas. Tudo, menos realmente trabalhar como policiais.

Já adaptado para anime, live-action, e com os personagens aparecendo até em jogos, como J-Stars Victory VS, o mangá permanece inédito aqui no Brasil e devido a alta quantidade de volumes e também ao seu desconhecimento, pode ficar assim por muito tempo, a menos que seja organizada alguma coletânea de histórias, assim como houve com Golgo 13.


3 – Hajime no Ippo

Vamos agora ao mangá mais comentado sempre que o assunto é “Mas One Piece nem é tão grande assim…” e provavelmente um dos mais famosos aqui no ocidente desta lista.

Criado em 1989, um dos mangás de boxe mais famosos da história já conta com surpreendentes 1345 capítulos em 131 volumes lançados, sendo publicado até hoje na revista Weekly Shōnen Magazine.

A história acompanha Ippo Makunouchi que entra no mundo do boxe para responder uma simples pergunta. “O que significa ser forte?”

Uma das coisas que mais chama a atenção para esse mangá é a entrevista que seu autor, Jōji Morikawa, deu em 2019 falando que “quando pensei no material [da história do mangá], eu provavelmente só abordei metade dela ainda” e brincou falando que não vai demorar mais 30 anos para escrever o resto. Na época, o mangá estava em seu vol. 124.

Ou seja, mesmo com 131 volumes, é um mangá que está muito longe de ver seu fim.

Também inédito no Brasil.


4. Baki

Lembram que eu comentei ali em cima sobre como Golgo foi o primeiro mangá a ter 201 na sua capa? Este mangá e o próximo são ótimos exemplos do que eu quis dizer.

Grappler Baki, ou como ficou conhecido aqui no ocidente Baki the Grappler, foi um mangá publicado em 1991 por Keisuke Itagaki na Weekly Shonen Champion, durando até 1999 com 42 volumes.

A história conta a vida de Baki Hanma, um lutador que busca treinar ao máximo contra vários tipos de lutadores diferentes para conseguir mostrar que é um lutador tão habilidoso quanto seu pai. Mas, lendo isso, alguns aqui podem ter se perguntado. “Porque uma lista de mangás maiores que One Piece tem Baki com apenas 42 volumes?”

Assim que Baki – The Grappler acabou na revista a sua continuação direta teve início. Intitulada apenas de Baki, a série durou até 2005, com 31 tankos; Logo após o fim desse segundo, começou uma terceira obra, chamada de Baki Hanma, continuando a história. Esse mangá durou até 2012, adicionando mais 37 volumes na conta; Dois anos depois, se iniciou Baki-Dou (刃牙道), um mangá que foi publicado até 2018, com 22 volumes; Atualmente, Baki está em sua 5ª série, Baki Dou (バキ道), com 9 volumes publicados. A soma de todas as séries resulta em 141 volumes.

Apesar de não ter volumes lançados no Brasil, é possível ver o anime Baki – O Campeão na Netflix, que adapta uma parte do primeiro mangá.


5. Super Campeões

E fechando nossa lista não poderia ser outro que não este! Um mangá que faz parte da nostalgia de muitas pessoas! Os jogadores das coxas gigantescas e cabeças minúsculas,  Super Campeões. Ou, como é conhecido no Japão, Captain Tsubasa.

O mangá começou a ser publicado na própria Weekly Shonen Jump, em 1981, e se encerrou em 1988 com 37 volumes. Assim como Baki, o mangá teve continuações, porém, dessa vez, o autor quis dar uma pausa entre elas.

Após o encerramento de Captain Tsubasa em 1988, sua continuação, Captain Tsubasa: World Youth, começou em 1994 e foi até 1997, com 18 volumes; após isso, em 2001, veio Captain Tsubasa: Road to 2002, somando 15 volumes; Captain Tsubasa: Golden-23, com 12 volumes; Captain Tsubasa: Kaigai Gekito Hen, que se divide em duas partes com o total de 8 volumes; e, finalmente, Captain Tsubasa: Rising Sun, que recentemente teve seu vol 15 lançado no Japão.

Além de 9 One-Shots, a soma de todos esses mangás acompanhando a história de Oliver Tsubasa ultrapassa os 100 volumes.

A história mostra Tsubasa Ozora, ou, como ficou conhecido aqui no Brasil, Oliver Tsubasa, desde sua infância e toda a sua paixão pelo futebol, se aperfeiçoando em jogar, buscando cada vez melhorar e indo atrás de seu maior sonho. Jogar no São Paulo.

Sim, apesar do anime ter chamado o time de F.C. Brancos, o sonho de Oliver é jogar no tricolor paulista. Com o avançar da história, Oliver vai crescendo e seus sonhos também, chegando a disputar campeonatos cada vez maiores, ao ponto de estar buscando a vitória do Japão nas olimpíadas.

O mangá é um dos mais pedidos aqui do Brasil devido a essa alta carga de representatividade brasileira, além da paixão pelo futebol. A separação do mangá pode facilitar a vinda dele para cá, sendo que o contrato pode ser realizado apenas com a primeira parte, e, conforme a reação do público, outras partes virem, semelhante ao caso de Jojo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.