MB HQ’s: Cinco mil quilômetros por segundo

Uma das minhas preocupações em trazer hqs europeias para MB é falar para um nicho que às vezes não se interessa por ler algo como Moebius, Manara ou Pratt, por achar chato ou simplesmente não se interessar por esse tipo de leitura.

Então, há um certo cuidado em mostrar hqs diferentes para que muitos criem um interesse e siga levando adiante o hábito maravilhoso que é de ler histórias em quadrinhos, independente de onde ou em qual país é produzido.

Manuele Fior é uma autor italiano que mora na França, sua sensibilidade em descrever e desenhar histórias reais de uma forma leve, mas ao mesmo tempo cruel, o fez ser internacionalmente reconhecido por todos os amantes de boas histórias. E tendo isso em mente, apresento 5000 km por segundo.

Piero e Nicola são dois amigos inseparáveis que estão olhando a nova vizinha se mudar. É uma senhora que adora flores e tem uma filha adolecente, no qual Piero se apaixona à primeira vista.

Piero é um jovem tímido e sonhador, quer estudar e conhecer o mundo, mas sempre é desencorajado por Nicola, que pretende cuidar dos negócios da família e curtir a vida.

Tudo que você imagina é que é mais uma história de romance ou um triângulo amoroso, e aí entra a criatividade da autora. Ao terminar o primeiro capítulo, Pietro e Lúcia se conhecem e já na página seguinte a atmosfera da HQ muda. Vemos uma Lucía mais velha, em torno dos seus 25 anos, fazendo intercâmbio na Noruega para esquecer o seu grande amor. Lá, momentos importantes da vida dela ocorrem e o capítulo termina.

Na página seguinte, vemos um Pietro mais velho, Dr. Piero, arqueólogo, indo para mais uma expedição no Egito e tendo delírios com Lúcia, aquela que o abandonou. E assim é mostrada a vida de ambos até um desfecho surpreendente e cruel, assim como a vida é.

Diversos fatores chamam a atenção na HQ. A narrativa é através de momentos, linear, mas não é auto explicativa. O óbvio não ocorre e exige uma atenção para tudo que está acontecendo. Manuele Fior abusa da sensibilidade do leitor ao fazer-nos se atentar até nos tons de cores de cada capítulo, o que demonstra o que vem e a resolução dos problemas dos personagens. Lucia, Pietro e Nicola eram próximos, mas ao mesmo tempo não, são mais cheio de defeitos do que qualidades e carregam um ressentimento muito grande sobre suas decisões, mas eles tocam a vida, segue seus objetivos e metas, alcançadas ou não, e vivem com suas escolhas.

Outro ponto que chama a atenção na HQ são suas cores. Com uma técnica muito parecida com aquarela, ela é fundamental para dar o ritmo à obra. Praticamente, as cores acompanham tudo que acontece. Um verdadeiro deleite para quem gosta de obras mais artísticas. Mesmo tendo um traço simples, é marcante e com uma identidade que agrega muito a obra.

A obra é premiadíssima, concorreu e ganhou diversos prêmios europeus como festival de Lucca em 2010 como melhor autor, Angoulême de 2011 como melhor HQ e Micheluzzi, dentro da Comiccon de 2011, de melhor HQ.

Em 2018, foi lançada no Brasil pela editora Devir, com uma edição simples e caprichada.

5000 km por segundo nos mostra como decisões são importantes e marcam as vidas das pessoas, seja para o  bem ou mal. Com uma narrativa singela, mas poderosa, carregada de uma vivacidade ímpar num conjunto ousado e único. É uma obra diferente que mostra de uma outra forma como a vida é doce e cruel.  Uma boa indicação para começar a ler histórias mais sérias com um toque de arte. Faz o leitor refletir sobre a mensagem da obra ao mesmo tempo que a admira.

Agradecemos à Editora Devir por disponibilizar a obra digital para nossa análise.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.