MB Nacional: O Mistério do Pirata Avarento

“Acalme-se, Barão. Crimes acontecem o tempo todo, nas melhores cidades”.

O ano é 1893. Quando uma série de misteriosas mortes começam a ocorrer na cidade de Curityba, o empresário e político Barão do Serro Azul, maior produtor e exportador de erva-mate do Paraná, decide requisitar os serviços do célebre detetive inglês, Sherlock Holmes.

Lançado no final de 2021, O Mistério do Pirata Avarento surgiu do seguinte questionamento: “E se o famoso detetive de Baker Street viesse à Curitiba?”. O quadrinista André Caliman aceitou o desafio e, após anos de pesquisa e trabalho árduo, nos presenteou com esta belíssima Novela Gráfica recheada de mistérios.

A ambientação da obra, rica em detalhes históricos, torna a leitura um verdadeiro passeio turístico pela enevoada Curytiba, que para citar de exemplo, é retratada assim, com a grafia usada de sua fundação até as primeiras décadas do século XX. Nada mais justo, o projeto foi realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura da Fundação Cultural e Prefeitura de Curitiba.

Para complementar a experiência, o livro possui vários QR Codes que levam o leitor a pequenos vídeos, narrados pelo Arte-Educador Rogério Bealpino, que contam um pouco sobre a história dos locais por onde passam os personagens. Infelizmente o artifício não funcionou com o meu celular, mas os vídeos podem ser facilmente encontrados na página do YouTube do autor.

Além do Barão, a obra traz em sua trama alguns outros personagens reais e folclóricos curitibanos, como a Santa Popular Maria Bueno e, logicamente, o Pirata Zulmiro, o Pirata Avarento que dá nome à obra.

Segundo a lenda, Zulmiro foi um pirata desertor britânico que fugiu para a América do Sul e se escondeu em Curitiba em meados do Século XIX, tendo ainda supostamente escondido seu baú repleto de jóias e ouro em um cemitério da cidade.

O caso investigado por Holmes acontece em meio aos preparativos  para uma peça de teatro que reencena a passagem de Zulmiro pela cidade, e por mais improvável que pareça, o fantasma do Pirata é o principal suspeito dos crimes. Para deixar as coisas ainda mais interessantes, a narrativa acontece em um espaço de tempo em que nos livros de Sir Arthur Conan Doyle o detetive havia forjado a própria morte e desaparecido, dando uma sensação cânone às histórias do personagem, que agora está sob domínio público.

A arte obscura, mas extremamente respeitosa à arquitetura da cidade, soma em muito ao clima de mistério da narrativa.  

A edição única em formato de luxo possui capa dura, fita de marcação e 120 páginas que, além da história principal, incluem: Posfácio, artes preliminares e contexto histórico escrito por Maurício N. Ouyama, Doutor em História pela Universidade Federal do Paraná.

O Mistério do Pirata Avarento é leitura recomendada principalmente para quem gosta de história e uma boa investigação. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.