MB Nacional: Chico Bento – Pavor Espaciar

Deveria ser apenas mais uma noite tranquila na Vila Abobrinha. Porém, Chico Bento e seu primo Zé Lelé, juntamente com a galinha Giserda e o porco Torresmo, são abduzidos por alienígenas e não se pode imaginar quais os planos que possuem para os dois e os animais.

Tudo começa quando os pais de Chico Bento estão de saída para visitar a casa de parentes e instruem os dois meninos a brincarem mais um pouco, mas após às dez da noite devem ir para a cama dormir. 

Pode-se dizer que o plano dos dois seria exatamente esse: obedecer os conselhos da mãe. Mas não podemos concluir o que aconteceria em outro caso, pois o que ocorreu logo em seguida foi uma invasão alienígena na fazenda.

Chico estava em seu caminho para a cozinha, apenas para beber um gole de água, quando Torresmo começa a agir estranhamente. Neste ponto, já estava encantada com os desenhos de Gustavo Duarte em seu estilo para mostrar que algo aconteceria através das expressões de Torresmo quando os alienígenas se aproximavam da porta. Devo dizer que a única falta que senti durante a cena foi os pés do alien aparecendo por trás da geladeira antes de mostrá-lo de fato, ainda assim foi uma cena maravilhosa e divertida.

Ao avistar o alienígena em sua corrida, Chico corre para se salvar e avisar Zé Lelé, porém este já havia sido capturado pelos invasores. Ele então agarra Giserda e, ligeiro, começa a fugir para longe da casa com Torresmo logo atrás do garoto. Entretanto, o garoto e seus bichos estão em menor número e logo são cercados.

Começa uma aventura perigosa para se livrar dos alienígenas e fugir para casa com todos os membros intactos. A história é bem divertida, dividindo seus momentos com leves tensões e vários elementos hilários.

Referências foram colocadas em diversos pontos da HQ, algumas tão necessárias que não se pode nem começar a explicar o porquê, mas acabam aumentando a dose de humor, deixando a história ainda mais cômica.

Não é uma história complexa, porém a graphic MSP é muito divertida e seus traços transmitiram bem o tom proposto pelo autor. E, por mais simples que seja, me agradou bastante, em especial as cenas em que Torresmo aparecia. A HQ não aposta em diálogo e vê-se que é uma característica do autor, que prefere apoiar-se na construção das expressões corporais em seus desenhos.

Gustavo Duarte é cartunista e quadrinista responsável pelas obras Có!, Taxi, Bizarro, Monstros! e Birds. Algumas de suas histórias foram publicadas pela Companhia das Letras e pela Dark Horse, nos EUA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.