MB Nacional: Quiral

Quiral, da dupla Eduardo Damasceno e Luis Felipe Garrocho (dupla responsável pela Graphic MSP do Bidu), apresenta duas histórias que estão entrelaçadas entre o tempo: um respeitado capitão, uma jovem sonhadora, uma pequena vila de pescadores e os fantásticos seres coloridos do mar e um caderno cheio de histórias.

Em Quiral, vemos duas histórias em uma vila de pescadores, em épocas diferentes, contadas ao mesmo tempo. Em um passado não muito distante, um capitão aparentemente bem respeitado, se prepara para mais uma caçada a grandes seres místicos e coloridos encontrados ao mar. Em outro ponto de vista, aparentemente 2 ou 3 gerações depois, uma jovem garota levanta cedo para trabalhar na praia, aparentemente bem interessada na embarcação de caça aos mesmos seres coloridos.

Ao passar da história, vemos a fixação do capitão em caçar as criaturas do mar, assombrado pelas mortes de seus almirantes, lembrando bastante Moby Dick, enquanto no (talvez) presente, vemos que a garota tem um grande interesse em se aventurar nesse universo marítimo de caçar os seres coloridos. 

Apesar de pouco nos dizer, um diário é compartilhado entre esses dois personagens de gerações diferentes. Aparentemente escrito pelo capitão, que de alguma maneira chegou às mãos da garota, que provavelmente se enxergou naquelas histórias do passado. Também há o fato que mesmo com o passar do tempo, a principal atividade daquela vida ainda seja a caça daqueles monstros coloridos, que continuam dando trabalho para os navegantes, que perdem suas vidas em alto mar.

A arte de Quiral é um dos pontos fortes do quadrinho. No ‘’passado’’ vemos cores mais escuras, mais puxado para um sépia, mais pesado, enquanto no ‘’presente’’ (ou futuro?) vemos um tom mais claro, harmônico. O uso de sombras trabalha bem o volume de cada quadro.

No final das contas, Quiral é um quadrinho curto, de 44 páginas, que conta duas histórias de maneira bem rápida, fluida e entrelaçadas, que nos entrega poucos detalhes e certezas e faz com que o leitor investigue e tente encaixar a história com aquilo que é nos entregue visualmente. É um quadrinho para se ler uma, duas ou até mesmo três vezes, pois cada leitura irá fazer com que tiremos mais conclusões. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.