MB Review: Spectreman vol. 2

Spectreman #2 continua com o padrão de histórias mostrado no primeiro volume. Mas esta edição apresenta confrontos e personagens bem mais interessantes que os vistos anteriormente. Uma leitura simples, mas divertida e relaxante. 

O volume 2 de Spectreman chegou e trouxe melhorias visíveis em relação ao primeiro. A série continua na mesma pegada, mas nesta edição, aparentemente, Daiji Kazumine já estava bem mais à vontade. Por exemplo, temos monstros exclusivos da versão em mangá, e mesmo aqueles presentes na série televisiva possuem diferenças entre as mídias, seja na aparência, ou na forma em que atuam na história. Isso é ótimo, pois significa que o mangaká teve uma liberdade maior e, consequentemente, pôde colocar mais de si no mangá. 

Logo no início já temos uma trama envolvendo um alienígena que cai na Terra por acidente e acaba sendo coagido por Gori a cooperar com ele em seu plano de dominação, para que sua nave fosse consertada. É simples, mas a história é muito legal e bem elaborada. A trama onde um monstro gigante enfrenta outro por causa de um ovo destruído também merece ser citada, e, como era de se esperar, é claro que o Spectreman também entra na luta, que possui um desfecho um tanto trágico. 

O que mais evoluiu no segundo volume, claramente, foram os monstros e as situações em que eles e o herói são inseridos. A maioria esmagadora delas são bastante criativas, como em um combate onde o herói de Nebula 71 simplesmente não pode atingir o inimigo com golpes diretos, já que todo o corpo dele é composto por explosivos capazes de dizimar uma cidade inteira. Ou na ocasião onde um menino em coma no hospital e seu boneco são responsáveis por uma série de acidentes automobilísticos que vêm acontecendo na região.  

O início da série já tinha me agradado, mas esse segundo volume me deixou empolgado a continuar e ver até onde situações interessantes como estas irão acontecer. O mangá permanece um shounen simples (até por ser essa a proposta dele) e continua com aqueles mesmo vícios da época em que foi lançado e que hoje já estão batidos. Mas se eu dissesse que não me diverti lendo, estaria mentindo. Fica a recomendação, se você é fã do personagem, de mangás antigos ou simplesmente de uma história simples e divertida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.