MB Especial: Conhecendo Gon

Um dinossaurinho que sobreviveu à extinção agora tenta se adaptar ao mundo animal atual. Gon é um mangá extremamente divertido, que conta com um protagonista pra lá de carismático, além de possuir um trabalho artístico espetacular. Um mangá indicado para todos, sejam adultos ou crianças.

Gon é um mangá criado por Masashi Tanaka e foi originalmente publicado entre 1992 e 2002, na revista Morning, da editora Kodansha. No Japão, foi finalizado com 7 volumes.

A história acompanha, com muito bom humor, um dinossauro de 60 centímetros que sobreviveu à extinção chamado Gon e suas aventuras pelo mundo animal. Apareceu originalmente no último capítulo do mangá Flash (1985), do mesmo autor, mas recebeu uma série própria e se tornou o personagem mais famoso de Tanaka.

O mangá não possui nenhum balão de texto, sendo uma narrativa completamente visual. Isso, somado aos traços extraordinários do quadrinho, garantiu ao autor o prêmio Eisner nas categorias de melhor publicação de humor e melhor publicação para público jovem.

O dinossaurinho ficou tão querido que até mesmo fez uma aparição no jogo Tekken 3, de 1996, onde pode ser desbloqueado para se tornar um personagem jogável.

Gon foi adaptado para anime em 2012 e teve 50 episódios. Em 2015, uma segunda temporada de 26 episódios foi exibida. Mas, ao contrário do que vemos no mangá, a arte da animação é bem simples e muito infantilizada. O anime é completamente feito em CGI e conta com animais falantes, por exemplo. Coisa que não existe no mangá.

Em 2006, Masashi Tanaka publicou Gon-chan, um mangá de apenas 13 capítulos sobre o dinossauro. Já em 2012, uma coletânea chamada Gon Selection foi publicada, contendo 4 capítulos selecionados, além de um inédito.

Em 2003, a editora Conrad começou a publicar o mangá no Brasil. Na época, o preço de capa era de R$ 19,90, considerado elevado, até por se tratar de um formato mais luxuoso. A editora lançou apenas três dos 7 volumes da obra, cancelando em 2004. Contudo, os volumes podem ser lidos de forma independente.

Desde então, Gon foi publicado e republicado em várias partes do mundo. Mesmo sendo um mangá que não apresenta barreiras linguísticas, a importação dessas edições geralmente é cara. Quem sabe uma republicação por aqui não seja uma boa ideia? Acho que daria certo no mercado atual. É um mangá fantástico e diverte todo tipo de leitor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.