MB HQ’s: A Saga do Demolidor vol. 1

Demolidor com certeza é o herói mais complexo da Marvel. Seja por suas crenças ou por sua personalidade, sempre encontramos um embate ético ou moral em suas histórias. A coleção A Saga do Demolidor vem para mostrar um pouco disso. Confiram a nossa análise do primeiro volume.

Demolidor é um herói diferente de tudo o que a Marvel já produziu. Boa parte disso se deve a Frank Miller ao transformá-lo em uma obra prima. O autor foi responsável por todos os questionamentos do herói, ensiná-lo a amar, criar uma origem definitiva e ainda destruí-lo. 

Todos que ao menos tenham noção de quadrinhos em algum ouviu falar de A queda de Murdock. Talvez uma das sagas mais importantes dos quadrinhos ao desconstruir o super-herói enquanto um ser implacável e perfeito.

Contudo, como dar continuidade a uma obra tão impactante como a de Miller e Mazzucchelli? Para isso, a casa das ideias escalou uma de suas roteiristas mais importantes, Ann Nocenti. Conhecida por dar continuidade às histórias dos X-Men, após a incrível fase de Chris Claremont, mantendo o mesmo nível de seu antecessor. Mas foi seu trabalho com o Demolidor que a colocou na lista de melhores roteiristas de quadrinhos de todos os tempos, o que lhe rendeu até mesmo um prêmio Eisner.

Na história Matt Murdock se recupera dos momentos difíceis enfrentados em A Queda de Murdock. Mas as lembranças dos eventos passados na Cozinha do Inferno, em suas ruas e entre seus moradores, não o deixam se recuperar em paz.

O advogado trabalha num restaurante simples como cozinheiro e está feliz com sua amada Karen Page, além de se mantendo mais ativo do que nunca. Mas os inimigos não querem que Matt fique em paz e são esses personagens o grande diferencial no volume.

Nesse início de coleção temos na narrativa seu ponto forte. Vilões mais reais e cheios de traumas são o destaque, além de uma crítica mais dura e direta a determinados setores da sociedade. O volume conta com histórias que prendem pela narrativa e fazem refletir sobre os anos 80 e tudo aquilo que mudou nos últimos trinta anos. A arte mantém uma ótima qualidade. Tudo parece convergir para alavancar a qualidade narrativa e as cenas de ação não deixam a desejar.

A Saga do Demolidor começou bem, com histórias primorosas e um ótimo custo benefício. Se quer ver algo diferente do habitual herói sem defeitos, aconselho essa coleção. Leia sem medo. Tenho certeza de que vai gostar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.