MB HQ’s: Asa Noturna vol. 1

A DC Comics recentemente passou por uma troca na equipe de criação de suas principais revistas. Nessa troca tivemos uma surpresa, dentre estas um dos indicados ao famoso prêmio Eisner.  Acompanhe nossa Análise de Asa Noturna Vol 1.

Desde 2016 quando foi estabelecido um novo reboot, com a fase Renascimento, Asa Noturna tem passado por maus bocados. O grupo Titãs foi dissolvido, tomou um tiro, ficou em coma, foi substituído por 4 pessoas e perdeu a memória.

Contudo, uma nova vida começa em Blüdhaven. Eventos importantes marcam nosso herói e mudam a vida de todos os membros da Bat-família. Dick Grayson agora é tão milionário quanto seu mentor e quer fazer ainda mais a diferença.

Escrita por Tom Taylor, com arte de Bruno Redondo e cores de Neil Edwards e Rick Leonardi , o que torna especial e boa essa HQ é o conjunto da obra.

A narrativa nessa nova fase de Dick é produzida com uma leveza e sensibilidade dificilmente vistas em uma comics. Dick é um vigilante e cada vida para ele importa. Esse cuidado é o que absorve o leitor durante os cinco capítulos do encadernado.

Asa Noturna lida com inimigos mais complexos que um vilão maluco. Questões sociais, corrupção, uma cidade cheia de problemas, tudo isso com elementos fantásticos de uma obra bem construída.

A arte de Bruno Redondo é maravilhosa, com uma riqueza de detalhes que combina perfeitamente com a história contada. Juntamos a isso cores bem suaves, que ajudam a realçar as ideias da HQ. Além disso suas diagramação detém técnicas de interação entre os quadros que fazem da obra algo sem igual.

A edição da Panini é bem feita e tem um custo-benefício interessante, sem problemas gráficos ou erros de português.

Asa Noturna é uma mudança gostosa no modo de escrever comics, se preocupando com a questões sociais de forma sucinta e sutil. Numa narrativa que prende, garante que esse se sensibilize com os problemas apresentados. Caso tenha oportunidade, dê uma chance.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.