MB Game: Alex Kid in Miracle World

Anos 80. O mundo está encantado com o entretenimento que a nova geração de videogames trazia. Mario, Sonic, Zelda… mas tem um personagem que fez a alegria de muitos, principalmente dos donos de Master System.  Confira a análise de Alex Kidd in Miracle World.

Os videogames ganharam uma força incrível como entretenimento.  No Japão duas empresas duelavam para conquistar o seu público. A Nintendo tinha grandes personagens como Mario, Link, Donkey Kong com jogos de sucesso. Já a Sega ainda escorregava para definir seus personagens populares, e uma dessas tentativas foi com Alex Kidd.

O garoto foi o mascote da empresa entre meados da década de 80 até o início dos anos 90, sendo substituído por Sonic, pois a ideia da empresa era atingir um público mais adulto, fazendo o mascote que era infantil, cair no esquecimento.

O primeiro jogo, Alex Kidd in Miracle World é o mais nostálgico, pois o game vinha na memória dos Master System no Brasil, como a Sega tinha uma representação oficial no país pela Tectoy, sendo bastante popular na época.

A história do primeiro jogo conta que nosso protagonista estava recluso nas montanhas para aprender uma técnica marcial onde é capaz de quebrar paredes de pedras com um golpe. Ao descer das montanhas, ele descobre que sua cidade estava sendo atacada pelo poderoso imperador Janker e que ele precisava derrotá-lo para salvar seus amigos.

Alex Kidd é uma game de plataforma,  como Mario, entretanto a mecânica é totalmente diferente. Enquanto o Astro da Nintendo utilizava de diversos poderes, o protagonista da Sega se utiliza de um poderoso soco e equipamentos como uma moto e helicóptero para atingir seus objetivos.

Outro detalhe era as paisagens, o primeiro jogo do Mario não tinha fundos e o de Alex tinha um fundo mais colorido dando uma sensação mais clara e leve  em relação ao jogo do seu rival.

Mas a principal diferença era os combates dos chefes de fase. Mario precisava passar pelos filhos do Bowser, mas Alex Kidd precisava superar os chefes com partidas de Jan -Ken-po.

Mas nem tudo é maravilhoso, Alex Kidd tem a jogabilidade travada e é totalmente linear, sem grandes segredos ou descobertas, o que não agrada novos jogadores.

Mas a nostalgia é redentora. Alex Kidd tem o carinho dos fãs e recentemente o jogo que vinha na memória do Master System ganhou um lindo Remake chamado Alex Kidd in Miracle World DX, que reacendeu a lembrança dos fãs e trouxe a magia dos anos 80 para os novos jogadores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.