MB Review: Bleach Remix vol.1

Um dos relançamentos mais aguardados da editora Panini. Finalmente chega o primeiro volume de Bleach Remix. É hora de revisitarmos as histórias de Ichigo, um shinigami substituto e os capítulos iniciais apresentando os personagens principais desta longa história.

Em Bleach acompanhamos Kurosaki Ichigo, um jovem estudante de 15 anos com habilidade especial em enxergar espíritos desde criança. Certo dia, o shinigami Kuchiki Rukia aparece em sua casa e fala sobre a existência de dois tipos de espíritos. Os primeiros são os plus, espíritos bons e o tipo mais comum a ser encontrado. O segundo tipo são os hollows, espíritos malignos que atacam seres vivos e mortos devorando suas almas. 

Rukia tem por missão manter-se no mundo real para acabar com um grande hollow que está na cidade e vai de encontro ao Ichigo em sua casa. Rukia falha ao deter o hollow e pede para que Ichigo finque sua espada em seu peito, com o intuito de absorver temporariamente os poderes de shinigami e salvar sua família. Assim inicia sua jornada como shinigami temporário.

Ainda neste volume somos apresentados a outras histórias preliminares, como a de Orihime e seu irmão falecido anos antes. Também temos Chad e o periquito que foi possuído por uma criança perseguida por um espírito maligno. O espírito temporário assume o corpo de Ichigo enquanto atuava como shinigami e chegamos ao ponto  alto deste volume: a visita ao túmulo da mãe de Ichigo.

Basicamente temos histórias para apresentar os personagens principais da trama e seus conceitos. Reler Bleach depois de bastante tempo e poder ter mais maturidade e conhecimento para absorver o enredo é uma grata experiência.

O primeiro volume de Bleach Remix compila os 25 primeiros capítulos, o equivalente aos 3 primeiros volumes em tanko. O ponto negativo desta edição é a ausência das capas dos volumes originais, os poemas de cada volume e os freetalks do autor, algo compreensível, uma vez que a divisão de volumes desta nova versão é feita pelos arcos de histórias e não por quantidade de volumes.

A edição física ficou extremamente caprichada, com 552 páginas em papel off-set e pela primeira vez, miolo costurado e colado em uma edição capa cartão da Panini. Mais um ponto positivo no quesito durabilidade, uma vez que contará com volumes com mais páginas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.