MB Review: The Ancient Magus Bride vol. 03

Em seu último serviço para a igreja, Chise e Elias precisam encontrar o cão que ronda o território em que se encontram. Essa figura, church grim, é o protetor de igrejas e de seus cemitérios. A missão do mago e sua aprendiz é descobrir se a presença da criatura representa uma ameaça aos cidadãos locais. 

Enquanto cumpre sua missão, a garota se depara com Joseph. Responsável por criar a estagnação em Ulthar, o feiticeiro destrói qualquer um que se meta em seu caminho. o que não esperava é que ao atacar Chise, acabaria liberando a ira de Elias. 

Pela primeira vez temos uma clara ideia do quanto Elias se importa com sua aprendiz. Apesar do mago se mostrar indiferente aos assuntos humanos, não significa que não possa se apegar à alguém em particular. Chise tornou-se parte da vida de Elias, deixando de ser apenas uma experiência.

No volume três de The Ancient Magus Bride conhecemos um pouco das intenções de Joseph, apesar do próprio não ter tanta certeza de seus motivos para determinadas ações. O feiticeiro se apresenta como o primeiro vilão da história e suas armações acabam se chocando sempre com o mago e sua aprendiz.

É certo que ainda encontraremos Joseph mais à frente, mas por enquanto o que se mostra mais promissor relacionado ao mago dos espinhos. Pela primeira vez vemos Elias em uma forma completamente honesta e temos a promessa do próprio em contar mais sobre si mesmo.

Embora ainda esteja relutante em dizer tudo o que pensa, Chise começa a ser mais ativa e questionar Elias. Vemos a garota evoluindo e ganhando um papel mais independente que deve ser trabalhado nas próximas edições.

Assim como nos volumes anteriores, o mangá mostra diversos elementos do folclore inglês para incluir elementos fantásticos na obra. Nesta edição reencontramos o ninho dos dragões e seu guardião apresentados na primeira edição. E como sempre, termina de forma que quem o leia anseie pelos próximos volumes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.